CAMPANHA DO AGASALHO 2021 – AQUEÇA JESUS

 “Estava nu e me vestistes” ( Mt 25,36).

Há alguns dias, em um grupo de whatsapp, encontrei uma postagem de uma jovem senhora, que dizia mais ou menos assim: “Pessoal, estive em reunião das Pastorais Sociais na Igreja e fiquei preocupada com a falta de agasalhos para os empobrecidos, neste outono-inverno. Que tal, nós, os membros do grupo, doarmos 20% de nossas roupas?” Inicialmente, achei ousado os 20%, mas acabei concluindo que ela tinha razão, levando-se em consideração os membros do referido grupo. De minha parte, decidi que sim.

No outono – inverno, a carência de agasalhos, mas também de roupas, para os empobrecidos, é maior do que em outras épocas do ano. Em tempo pandêmico, a urgência é maior, levandose em consideração os que se encontram em “petição de miséria”, os necessitados e os afetados pelo desemprego ou subemprego. Muitos deles preferem o silêncio e o
escondimento, por vergonha de pedir. É preciso encontrá-los e dar-lhes a caridade, vestindoos, vendo neles a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Estive nu e me vestistes” (Mt 25,36).

Houve um tempo, que se produzia conforme as necessidades. Hoje se produz e depois se cria a necessidade nas pessoas para que comprem. É assim também no mundo do vestuário, dos calçados e das roupas de cama. Neste dinamismo, num ciclo que dura pouco mais de um ano, se é que perdura, acabamos guardando o que não necessitamos, pois adquirimos impulsionados pela moda, propaganda e marketing, e não por necessidade. Tomados pelo egoísmo e insensibilidade social, acumulamos o que está fazendo falta para outras pessoas, irmãos nossos.

Neste outono – inverno pandêmico, doemos parte dos nossos agasalhos, roupas, calçados, lençóis e cobertores. Vençamos o medo, o receio, a volúpia do consumismo e da acumulação. Não pense muito, pois se pensar não doará. Feche os olhos, passe pela mente o que pode desfazer. Num ímpeto de amor, de loucura santa, doe tudo o que possa doar, sem se preocupar ou perguntar quem vai usar.

Depois de entregar a sacola com a doação, em alguma igreja ou obra social de sua cidade, voltando para casa, sentirá liberdade e paz, e será para você a palavra de São Francisco de Assis: “É dando que se recebe”. E para nós, miseráveis pecadores, é consolador saber que a caridade apaga uma multidão de pecados: “Cultivai, constantemente, o amor mútuo, pois o amor cobre uma multidão de pecados”( 1Pd 4,8).

Certa vez, precisei pernoitar na casa de uma família. Fui colocado para dormir no quarto do filho, que estava em outra cidade, na faculdade. Abri o armário, na manhã seguinte, para guardar o cobertor. Então vi, que havia ali três calças jeans, quatro camisas tipo polo, algumas bermudas e camisetas, tudo simples. Ao tomarmos café, ousadamente, perguntei à mãe: onde a Senhora guarda a roupa de seu filho? Ela respondeu: “está tudo no armário do quarto, onde o Senhor dormiu”. Então retruquei: só aquilo? Ela respondeu, “é o que ele precisa e gosta”.

Os anos passaram. Certa vez, encontrei-me com o tal filho, hoje, um engenheiro, trabalhando no Brasil e em países da América. Contei-lhe o acontecido. E ele disse-me: “ainda hoje continuo assim, só tenho o necessário”. Em dúvida, perguntei à esposa, e ela confirmou-me, ele só vivia com o necessário.

Então, não lhe proponho despojar-se de 20% de suas vestes, exatamente, mas conclamo-o a experimentar a alegria de doar. O ditado popular tem razão: “uma mão lava a outra, e as duas lavam o rosto”. Ou ainda este: “Há mais alegria em dar do que em receber”. Sejamos mais sóbrios, vivamos com o que realmente precisamos. Doemos o restante para aquecer Jesus, na pessoa do empobrecido, presente em alguma família, barraco, orfanato, casa de repouso, lar de idosos, casa de recuperação de toxico-depedentes, em alguma esquina ou debaixo de algum viaduto. E tenha certeza, DEUS RECOMPENSAR-LHE-Á.

 

 

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP




Comentários

  1. Que abençoe esta campanha em prol de nossos irmãos necessitados em tempos tão difíceis. Compartilhar com quem precisa é um gesto de amor. Parabéns a Diocese de São José do Rio Preto e ao Bispo Dom Tomé por importante e relevante iniciativa!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabénsa sua Diocese por esta campanha
    Abraços amigo!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Confira as últimas postagens do site da Diocese de São José do Rio Preto