segunda-feira, 27 de maio de 2019

SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE CRISTÃ E O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO



“Procurarás a justiça, nada além da justiça “ (Dt 16,18-20)

Entre os dias 02 e 08 de junho, da solenidade da Ascensão de Jesus à solenidade de Pentecostes, realizamos no Brasil, a “Semana de oração pela unidade cristã”. Esta oportunidade é também uma saudável provocação para a promoção do diálogo inter-religioso. 

No Brasil, o diálogo ecumênico se realiza entre as igrejas que fazem parte do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil: Católica Apostólica Romana, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia e Aliança de Batistas do Brasil. O diálogo inter-religioso se estabelece, ou pode se estabelecer, com outras igrejas cristãs ou não cristãs, de forma bilateral ou em grupos específicos.  

Encontramos no Brasil uma pluralidade de experiências religiosas: catolicismo, protestantes históricos, diversas denominações cristãs, evangélicas e pentecostais, e várias expressões religiosas não cristãs. Esta diversidade religiosa manifesta-se presente na família, na escola, no trabalho, no bairro, no condomínio e nos mais diversos ambientes e espaços da sociedade. É possível encontrar em um único espaço ou ambiente, pessoas que professam distintas convicções religiosas.

O tema para a Semana de oração pela unidade cristã – 2019 é a justiça, partindo do lema “Procurarás a justiça, nada além da justiça”, retirado do livro do Deuteronômio capítulo dezesseis, versículos dezoito a vinte. Não há uma equivalência, oposição ou contradição entre o conceito de justiça humana e justiça divina, mas são realidades distintas. A justiça divina é restauradora, centrada na pessoa, compreendida como sujeito social. 

A partir do olhar da fé, da justiça divina, “os interesses individuais ou de grupos econômicos não podem ser colocados acima dos seres humanos, da integridade da criação e do bem-estar da humanidade (...) A justiça precisa garantir a dignidade e a integridade de todas as expressões culturais e religiosas e precisa zelar pela criação de Deus (...) Necessitamos recuperar o espírito da coletividade, a solidariedade, empatia, a compreensão de que nós, seres humanos, somos uma pequena parte da criação de Deus”.

Na promoção do ecumenismo e do diálogo inter-religioso, a partir da família, da escola, do trabalho e de outros espaços e ambientes sociais, a justiça divina nos convoca ao amor misericordioso, que produz frutos bons e abundantes, necessários para a unidade na diversidade religiosa e social: verdade, diálogo, compreensão, respeito, paz, perdão, cooperação e solidariedade. A partir dos nossos espaços e ambientes de convivência, sejamos promotores desta unidade desejada por Nosso Senhor Jesus Cristo: “Que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim, e eu em ti. Que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste” (Jo 17, 21).

Partindo da oração, sejamos promotores do diálogo ecumênico e inter-religioso. Que o Divino Espírito Santo, dom de Jesus Cristo ressuscitado à Igreja, nos dê luz e sabedoria para construirmos os caminhos que conduzem à unidade na diversidade.


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP   

Nenhum comentário:

Postar um comentário