quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Padre Ciol e Padre Thiago, bênção de Deus para seu povo

Nesta primeira quinzena de agosto de 2018, Deus enriquece a sua Igreja, na Diocese de São José do Rio Preto, com dois novos sacerdotes: Padre Ciol, vindo de Guapiaçu, Paróquia São Sebastião; Padre Thiago, da Paróquia Divino Espírito Santo, aqui em São José do Rio Preto.
Do meio de seu povo, Deus chama jovens, forma neles um coração sacerdotal, através do Divino Espírito Santo, consagra-os e envia-os novamente ao seu povo como sacerdotes, com a missão de anunciar o Evangelho do Reino de Deus, de celebrar os mistérios da fé, nos sacramentos e sacramentais, e de viver a caridade pastoral com todos os fiéis, no exercício cotidiano da caridade.
A ordenação sacerdotal não é ponto de chegada para os dois sacerdotes, mas ponto de partida para a missão que lhes é confiada por Deus, através da Igreja. A ordenação sacerdotal não é o cume da vida presbiteral, mas é um ponto nesse texto que continua a ser escrito, até o momento da morte. Por isso não se deve “idolatrar” o dia da ordenação, mas vivê-lo como um caminho que se abre para o futuro, a ser vivido na doação de si a Deus, através do serviço ao seu povo.
A transmissão e a educação da fé às crianças, adolescentes e jovens é um pressuposto vocacional. Não há vocacionado sem fé, sem conhecimento, amor e seguimento a Nosso Senhor Jesus Cristo. A ausência de vocacionados é um sinal de ausência ou fragilidade da vida de fé no Povo de Deus. A missão junto aos jovens ajuda para que cheguem a uma vida de fé madura, que é um passo necessário para a escuta e a resposta vocacional. O chamado e a resposta vocacional acontecem no horizonte da fé.
É preciso provocar o jovem quanto à sua eventual vocação ao sacerdócio. Não ter receio de perguntar ao jovem se ele não escuta o chamado de Deus para ser padre. Às vezes, o jovem somente vai ouvir o chamado de Deus se ele for provocado por algum fiel. Cada fiel precisa ser um agente promotor vocacional, ajudando a descobrir os vocacionados, rezando por eles, ajudando-os como irmão na fé e contribuindo para a sua formação.
A vida de fé em família, a experiência de fé nos grupos de jovens e de oração e de outros grupos eclesiais, é um ambiente natural de vivência comunitária da fé e terreno fértil para o desenvolvimento vocacional dos jovens. A comunidade é o colo natural onde surge, cresce e amadurece a vocação sacerdotal.
A formação de um sacerdote tem um custo alto. Cada fiel é convocado a ajudar na formação dos sacerdotes com  doação econômica ou de alimentos ou outros materiais úteis à formação. Quem contribui com a formação dos sacerdotes é também formador.
Acompanhemos o Padre Ciol e o Padre Thiago com a nossa oração, nossa amizade, respeito e obediência na fé. Deus lhes conceda a graça de serem padres felizes, santos e missionários. Não lhes falte a terna e materna proteção de Nossa Senhora.

+Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto

Nenhum comentário:

Postar um comentário