terça-feira, 20 de março de 2018

COMUNIDADE DIOCESANA CELEBRA SÃO JOSÉ

A Procissão de Entrada já havia rompido o corredor central da Catedral quando as bandeiras foram trazidas ao Presbitério por atiradores do Tiro de Guerra local. A Banda Regimental da Polícia Militar entoou os hinos; com especial destaque para aquele que exalta o Município. “São José do Rio Preto, tua marcha, tua fé, vão levando para a glória o pendão de São José”. O 166º aniversário de fundação da Capital da 8ª Região Administrativa do Estado de São Paulo foi, também, oportunidade para se reafirmar a religiosidade do povo desde os primeiros tempos; característica “enraizada” no nome e na história da cidade.

O bispo local, dom Tomé Ferreira da Silva, presidiu a Eucaristia junto às centenas de Diocesanos que marcaram presença na Missa em Ação de Graças celebrada nessa segunda-feira, 19 de março. Nesse contexto, muitos foram os motivos para render graças a Deus; entre eles, a instituição de quatro seminaristas no Ministério de Leitor (Geraldo Fernandes Neto, Patrick Miranda, Frei Isaac Prudêncio e Frei Eliseu) e a admissão de outros dois às Ordens Sacras (João Carlos Santos e Mateus Esteves); última etapa antes da Sagrada Ordem. O reitor do Seminário Diocesano, padre Leonel Brabo, apresentou os vocacionados ao bispo.

“São José de Botas nos estimula à missão”

Diante de autoridades dos diversos poderes constituídos; entre elas o Prefeito Municipal de São José do Rio Preto, Edinho Araújo, dom Tomé destacou a figura do Padroeiro da Igreja; mostrando que sua fé foi nutrida na escuta da vontade de Deus. O epíscopo traçou um importante paralelo entre as dificuldades enfrentadas pelo “pai adotivo” de Jesus e a disposição dos fiéis ao enfrentamento de dificuldades similares. “A imagem de São José, cultuada em nossa cidade desde a sua origem, o apresenta calçando botas. Ele foi um homem ousado, corajoso: primeiro ao assumir a pessoa de Maria como sua esposa, mesmo grávida. Depois, por fazer a viagem de Nazaré a Belém. Que homem ou mulher faria essa peregrinação nos nossos dias?”, questionou dom Tomé. Ainda apoiado na figura do copadroeiro da Diocese, o bispo sublinhou que todos os fiéis são convocados, à luz de São José, a viver a obediência à vontade de Deus.

No contexto do aniversário da cidade, o religioso também apresentou um panorama dos desafios que precisam ser enfrentados; com especial atenção para as necessidades enfrentadas por quem mora nos “bolsões” carentes de equipamento públicos, por exemplo. Mais uma vez aproximando a criação do Município à religiosidade do povo, dom Tomé pediu o empenho de todos em prol da superação da violência. “A cidade que tem Cristo por Senhor estará afastando de si mesma muitos males, como - por exemplo - o mal da violência. (...) Quem vive a fé é uma pessoa de paz. É uma pessoa promotora da paz”, garantiu.

Celebrado o Rito Eucarístico, já na etapa final do encontro, dom Tomé distribuiu exemplares do Documento 105 (“Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade”), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil ( CNBB - Conferência dos Bispos), às autoridades presentes. “Que São José continue abençoando-nos e abençoando a nossa cidade; inspirando-nos a calçar as nossas botas e ir ao encontro daqueles que não tem fé”, concluiu o bispo diocesano.

TEXTO | FOTOS
André Botelho
Assessoria de Comunicação
Santuário São Judas Tadeu

Nenhum comentário:

Postar um comentário