quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

CAMPANHA DA FRATERNIDADE É ABERTA NA DIOCESE

O povo da Diocese de São José do Rio Preto já milita em prol da superação da violência. "Vós sois todos irmãos" (Mt 23,8), lema da Campanha da Fraternidade 2018, é a inspiração que norteará a caminhada dos fiéis durante a Quaresma. Sob a presidência de dom Tomé Ferreira da Silva, foi celebrada a Missa que marcou a abertura do tempo de conversão e penitência que conduzirá à Páscoa. O encontro aconteceu na Catedral de São José, nessa quarta-feira, 14 de fevereiro. "Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos" (Salmo 50/51), declararam Padres, diáconos, religiosos, autoridades da Região e o povo, na vivência do Ano Nacional do Laicato.

O tom penitencial, acentuado pelo roxo, cor litúrgica indicada para o período, foi valorizado desde o princípio da Celebração pelo bispo; que conduziu Ato voltado ao exame de consciência; "reconhecendo-nos necessitados do perdão de Deus", completou o epíscopo.

Reflexão

"A singularidade do Tempo da Quaresma vem do fato de que nós somos pecadores e, às vezes, muito pecadores". A partir dessa confissão, o bispo de São José do Rio Preto congregou todos os fiéis na busca comum por conversão. Nesse sentido, indicou o religioso, a oração, a caridade, o jejum e a penitência são as práticas que levarão à autêntica mudança de atitudes.

E sublinhando a necessidade de mudança, dom Tomé contextualizou o tema e o lema da Campanha da Fraternidade. "No Brasil, hoje, a violência é uma praga epidêmica. Ela manifesta-se em todos os extratos sociais", alertou o bispo dizendo que o fiel não pode aceitá-la "como condição natural do homem e da sociedade"; ainda mais por ser, a violência, contrária à vontade de Deus. "Ele deseja que vivamos em paz e sejamos construtores da paz", disse o bispo.

Apoiado em considerações ligadas aos desafios cotidianos, dom Tomé mostrou que a "Campanha da Fraternidade é um grito para que o Brasil possa criar estruturas, estratégias e políticas públicas que sejam eficientes e eficazes no combate da violência". Ainda nesse contexto, o religioso ampliou a abrangência da reflexão, recordando as limitações que tornaram vulneráveis, por exemplo, policiais e agentes penitenciários. Clamando por "melhores condições de trabalho para os 'guardadores da paz' na nossa sociedade"; a fala encontrou sintonia nas pessoas do Cabo PM Jamilson Luiz da Cruz, que proclamou a segunda leitura da Missa; do doutor Ademir Panciera, Diretor do Centro de Progressão Penitenciária de São José do Rio Preto e da Delegada Titular da Delegacia de Defesa da Mulher, doutora Dálice Ceron. A mensagem de dom Tomé culminou na imposição das Cinzas sobre os diocesanos reunidos. "Convertei-vos e crede no Evangelho", suplicou o bispo.

A Celebração, nessa quarta-feira, foi como um envio para vivência da Quaresma e da Campanha da Fraternidade em todas as Paróquias e na sociedade. Para sinal visível dessa vivência, dom Tomé e o Coordenador Diocesano de Pastoral, padre Gerson Carlos Cavalin, entregaram o Texto Base da Campanha para as autoridades presentes, representante da Polícia Militar e para os padres coordenadores de Regiões Pastorais.

No contexto reflexivo e de mudança de atitudes, novos momentos diocesanos voltarão a ser vividos: segunda-feira, 19 de fevereiro, às 20 h, na Câmara de Vereadores de São José do Rio Preto, acontecerá a Sessão Solene Pública de abertura da Campanha da Fraternidade. Na sequência, em 9 de maio, às 20 h, na Catedral, um Seminário sobre questões de violência e da paz debaterá aspectos inerentes à realidade no Noroeste Paulista. E assim, "guiado pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho", o povo de Deus seguiu sob a proteção de Nossa Senhora. "E que ela nos acompanhe nesse tempo da Quaresma", concluiu o bispo.

Texto e Fotos: André Botelho
Assessoria de Comunicação -
Santuário São Judas Tadeu

 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário