sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

7º PLANO DIOCESANO DE PASTORAL

“Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. Vão, portanto, e façam que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-as a observar tudo o que lhes ordenei. Eis que eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos”(Mt 28, 18-20).

Concluído o “Ano Jubilar Extraordinário da Misericórdia” e iniciado o “Ano Nacional Mariano”, na recordação dos trezentos anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, na águas do Rio Paraíba, a Diocese de São José do Rio Preto, SP, tem a alegria e esperança de publicar o seu “Sétimo Plano Diocesano de Pastoral”. Alegria, resultante de uma caminhada pastoral de quase nove décadas; e esperança, de prosseguir fazendo a Vontade de Deus, e que todos experimentem a salvação em Nosso Senhor Jesus Cristo.

Com o Sétimo Plano Diocesano de Pastoral, a Diocese de São José do Rio Preto compreende que sua vida no cuidado das pessoas, fiéis ou não, não pode desenvolver-se ao improviso, ou no compasso da vontade humana, mas discernindo os sinais dos tempos, na escuta da Vontade de Deus, iluminada pela Palavra da Salvação, alimentada pelos Sacramentos e pela Caridade, ter uma ação que se desenvolva de modo sistemático, na comunhão com o Santo Padre o Papa Francisco e em sintonia com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Há uma continuidade entre as seis urgências pastorais propostas, que se entrelaçam e são interdependentes: a urgência da missão, uma Igreja em saída, ao encontro dos pecadores, para que se abram à misericórdia de Deus, através do conhecimento, amor e seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nossa riqueza é a pessoa do Divino Salvador. O que podemos e devemos fazer é propô-lo aos que precisam iniciar o seu processo de conversão e reapresentá-lo aos que já percorrem o seu Caminho. É uma alegre, ousada e imperativa missão.

Ao assumir “os mundos da família”, como urgência diocesana, queremos compreender, viver e propor a todos o projeto da família cristã, como é compreendida e custodiada pela Igreja Católica Apostólica Romana, como resposta às necessidades das famílias em nossas cidades, aos dois últimos Sínodos e à publicação do Papa Francisco “Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Laetitia”. A família é a casa do amor, onde somos amados e aprendemos a amar, é o primeiro espaço da dimensão comunitária da fé. “A alegria do amor que se vive nas famílias é também o júbilo da Igreja” (Amoris Laetitia 1).

Cabe salientar que o atual Plano Diocesano de Pastoral (2017-2019) nasceu da partilha e da reflexão nas reuniões pastorais e assembleias paroquiais e diocesana. É fruto de um esforço concentrado do trabalho e participação das nossas lideranças diocesanas, especialmente dos padres, diáconos, religiosos, religiosas, mas também dos leigos e leigas comprometidos com a pastoral em nossas comunidades.

Enfim, faço minhas as palavras dos Bispos brasileiros, na elaboração das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2015-2019, adaptando-as para a nossa Diocese: “Com renovada consciência de que a evangelização continuamente parte da contemplação de Jesus Cristo presente em sua Igreja e se desenvolve em diálogo com os contextos em que se realiza, ‘este Sétimo Plano Diocesano de Pastoral é oferecido a todas as paróquias, pastorais, movimentos, associações religiosas, novas comunidades e outras expressões eclesiais. Que ele’ possa contribuir para que a ‘alegria do Evangelho’ renove profundamente nossas comunidades e anime continuamente nosso entusiasmo missionário” (DGAEIB 3).

Que tudo seja vivido e realizado para o louvor de Deus e a santificação das pessoas, sempre na Igreja, com a Igreja e através da Igreja. Confiemo-nos à terna e materna proteção de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil. São José, rogai por nós!

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário