RETIRO DO CLERO: REZAR A MISERICÓRDIA QUE CONSOLA E DÁ ESPERANÇA

O retiro do clero para o segundo grupo de padres aconteceu de 18 a 22 de julho, no Alto da Serra da cidade de São Pedro-SP. Nestes dias rezamos a misericórdia que consola e dá esperança, pois devemos ser e servir o remédio da misericórdia.

Experimentamos na oração a compaixão, não como um afeto, mas como um movimento em direção ao próximo, uma vez que a compaixão é um sentimento que se move ao encontro. Deus se move de compaixão, move-se no seu útero, nas suas entranhas e é capaz de refazer o ser amado. 

Vivenciamos que o ativar a compaixão depende do olhar e que a misericórdia é um toque que regenera, é o amor transformado em ato. A misericórdia tem como órgãos as mãos: “Vai e faze o mesmo”.

Rezamos também a partir da nossa subjetividade, olhando o próprio eu, e a verdadeira imagem e semelhança do Criador que compreende três características: tornar-se inteiro, com afetos saudáveis e uma vida virtuosa.

Tivemos a possibilidade de rezar a partir de três reflexões que o papa Francisco fez no retiro do jubileu da misericórdia com os sacerdotes: Do distanciamento a festa; o receptáculo da misericórdia e o bom odor de Cristo; e a luz da sua misericórdia.

Um momento muito especial foi estar diante do Santíssimo Sacramento e trazer paciente e demoradamente o rosto ou nome de cada membro de nossas comunidades paroquiais.

Agradecemos aos orientadores, padre Cláudio Buss, S.C.J., e a dom Edson Damian, bispo da diocese de São Gabriel da Cachoeira, AM, e ainda a todos os diocesanos que rezaram pelos seus padres. Que a Virgem Maria, Mãe da Misericórdia, interceda por todos.

Pe. Edvaldo Rosário Calazans
Paróquia São Vicente de Paulo

Comentários

Confira as últimas postagens do site da Diocese de São José do Rio Preto