sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Orientações sobre as Indulgências para o Ano Santo da Misericórdia

“A indulgência é experimentar a santidade da Igreja que participa em todos os benefícios da redenção de Cristo, para que o perdão se estenda até as últimas consequências aonde chega o amor de Deus.” (Papa Francisco)

A recepção da indulgência está “unida, em primeiro lugar, ao Sacramento da Reconciliação e à celebração da santa Eucaristia com uma reflexão sobre a misericórdia. Será necessário acompanhar estas celebrações com a profissão de fé e com a oração por mim e pelas intenções que trago no coração para o bem da Igreja e do mundo inteiro.” (Papa Francisco)

1.0   PARA TODOS OS FIÉIS: “Para viver e obter a indulgência os fiéis são chamados a realizar uma breve peregrinação rumo à Porta Santa, aberta em cada Catedral ou nas igrejas estabelecidas pelo Bispo Diocesano.”(Papa Francisco) Indicamos como locais para a obtenção da indulgência, a Catedral de São José, em São José do Rio Preto/SP, e a Igreja Matriz de Nossa Senhora Aparecida, em Votuporanga/SP.

2.0   DOENTES, ENFERMOS, IDOSOS E PESSOAS SÓS, SEM CONDIÇÕES DE SAIREM DE CASA: “Viver com fé e esperança jubilosa este momento de provação, recebendo a comunhão ou participando na santa Missa e na oração comunitária, inclusive através dos vários meios de comunicação, será para eles o modo de obter a indulgência jubilar.”(Papa Francisco)

3.0   ENCARCERADOS: “Nas capelas dos cárceres poderão obter a indulgência, e todas as vezes que passarem pela porta de sua cela, dirigindo o pensamento e a oração ao Pai, que este gesto signifique para eles a passagem pela Porta Santa, porque a misericórdia de Deus, capaz de mudar os corações, consegue também transformar as grades em experiência de liberdade.” (Papa Francisco)

4.0   AOS QUE PRATICAREM AS OBRAS DE MISERICÓRDIA: “Todas as vezes que um fiel viver uma ou mais destas obras pessoalmente obterá sem dúvida a indulgência jubilar.” (Papa Francisco) OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS: dar comida aos famintos, dar de beber a quem tem sede, vestir os nus, acolher o estrangeiro, assistir os doentes, visitar os presos, sepultar os mortos. OBRAS DE MISERICÓRDIA ESPIRITUAIS: aconselhar os duvidosos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as injustiças, rezar a Deus pelos vivos e pelos mortos.

5.0   FALECIDOS: “A indulgência jubilar pode ser obtida também para quantos faleceram. (…) Assim como os recordamos na celebração eucarística, também podemos, no grande mistério da comunhão dos Santos, rezar por eles, para que o rosto misericordioso do Pai os liberte de qualquer resíduo de culpa e possa abraça-los na beatitude sem fim.”(Papa Francisco)

Solicito aos sacerdotes, diáconos permanentes, religiosos e religiosas, aos líderes e coordenadores de comunidades, pastorais, movimentos, associações religiosas e novas comunidades, que tornem conhecidas estas orientações para todos os fiéis. Sejam publicadas em todos os meios de comunicação vinculados à Igreja.

Que Nossa Senhora, a Mãe da Misericórdia, “nunca se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos e nos faça dignos de contemplar o rosto da misericórdia, seu Filho Jesus.” (Papa Francisco)

Na expectativa sóbria e alegre do Natal do Senhor, e na esperança de sua vinda gloriosa, a bênção de Deus. Amplexo e todo bem!

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário