Postagens

Mostrando postagens de Março, 2015

“Bendita sejais, Senhora das Dores; ouvi nossos rogos, Mãe dos pecadores!”

Imagem
Na piedade popular, os sete dias que antecedem a “Semana Santa”, a “Semana Maior”, são dedicados à meditação e contemplação das “Sete Dores de Nossa Senhora”. Este ciclo mostra a participação de Nossa Senhora  no sofrimento de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, desde a sua infância até o seu sepultamento. Emoldurada pela quaresma e pela  liturgia quaresmal, a solene recordação  das Dores de Nossa Senhora tornar-se para o fiel uma introdução pedagógica  no mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Uma espada traspassará a tua alma” (Lc 2, 35). “O pai e a mãe ficavam admirados com aquilo que diziam do menino. Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe: ‘Este menino será causa de queda e de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição – uma espada traspassará a tua alma! – e assim serão revelados os pensamentos de muitos corações’” (Lc 2, 33-35). A profecia do velho Simeão descortina  um horizonte de preocupação para No

São José e o projeto divino para a família humana

Imagem
Alegres e esperançosos, celebramos a Santa Missa, na Solenidade de São José, anjo tutelar  da cidade de São José do Rio Preto, que celebra 163 anos de fecunda existência, colocada, desde os primórdios, sob os auspícios  de tão insigne santo. Iluminados pela Palavra de Deus, proclamada e ouvida, convido-os a contemplar a pessoa de São José, à luz do Mistério Pascal, como membro da Sagrada Família, esposo da Bem-Aventurada Virgem Maria e pai custódio de Nosso Senhor Jesus Cristo, no contexto da realização do próximo Sínodo dos Bispos, que terá a família como foco. Desde a origem, homem e mulher experimentam o encantamento um pelo outro. Diz a Sagrada Escritura, no livro do Gênesis: “Da costela tirada do homem, o Senhor Deus formou a mulher e apresentou-a ao homem. E o homem exclamou: ‘Desta vez sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada humana porque do homem foi  tirada.’ Por isso deixará o homem o pai e a mãe e se unirá à sua mulher, e eles serão uma s

São José, servo bom, prudente e fiel

Imagem
São José, esposo da Bem-Aventurada Virgem Maria e padroeiro da Igreja. São José é recordado duas vezes na liturgia da Igreja Católica Apostólica Romana: em dezenove de março, como solenidade; e primeiro de maio, com o título de São José Operário, como memória facultativa. Celebramos  o mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo na vida de São José, membro da Sagrada Família e inspiração para os trabalhadores. São José, servo bom, prudente e fiel. A antífona de entrada da solenidade, inspirada em Lucas 12, 42, mostra  o modo como a Igreja contempla a pessoa de São José: “Eis o servo fiel e prudente, a quem o Senhor confiou a sua casa”. A ele Deus confiou as “primícias da Igreja”, reza a oração da coleta, mostrando a sua missão de esposo de Maria e “pai nutrício” de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Sagrada Família, São José desempenha a sua missão como servo cuja ação é marcada pela bondade, prudência e fidelidade. São José, da família de Davi. Cumprindo a promessa feita a Davi (cf 2S

Silêncio Quaresmal

Imagem
Nosso tempo, talvez mais do que outros, tem uma diversidade e proliferação de sons e imagens. Tudo é encantador e fascinante. Com a acessibilidade aos novos recursos e tecnologias, vivemos numa inundação de sons e imagens. A própria sociedade encontra dificuldade para disciplinar a “poluição sonora e visual”. Ao mesmo tempo, vivemos na sociedade da mutabilidade e do movimento, nada permanece por tempo razoável, há uma sucessão interminável de versões de um mesmo fato, tudo caduca com rapidez. A comunicação, visual e oral, é feita para pessoas em movimento, que aprenderam a fazer várias coisas ao mesmo tempo. Vivemos como pessoas inquietas, irrequietas, incapazes de permanecer por um tempo bom em um determinado espaço ou condição. Somos agentes e vítimas de uma dispersão física que provoca uma falta de concentração da mente e do coração. Expulsamos a quietude e o silêncio da nossa vida. No ciclo litúrgico da Igreja, a quaresma é um tempo que conclama os fiéis ao silêncio, ext

Fraternidade: Igreja e Sociedade

Imagem
Desde 1964, a Igreja Católica Apostólica Romana realiza no Brasil a Campanha da Fraternidade, uma ação pastoral que envolve as dioceses no território nacional, buscando a renovação interna da Igreja, preocupando-se com a realidade social do povo brasileiro, denunciando o pecado social e promovendo a justiça, e voltando-se para situações existenciais específicas dos brasileiros. Neste ano de 2015, com o tema “Fraternidade: Igreja e Sociedade”, e com o lema “Eu vim para servir”, os católicos são chamados a “Aprofundar, à luz do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a Sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano II, como serviço ao povo brasileiro, para a edificação do Reino de Deus.” A Constituição Pastoral Gaudium et Spes, 42, faz uma afirmação assustadora: “ o cristão que descuida dos seus deveres temporais falta aos seus deveres para com o próximo e até para com o próprio Deus, e põe em risco a sua salvação eterna.” Diante das periferias existenciais

Confira as últimas postagens do site da Diocese de São José do Rio Preto