quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Quaresma, tempo de formar o coração

A natureza tem os seus ciclos: outono, inverno, primavera e verão. Na infância, aprendi com meu pai que quanto mais intenso o inverno, melhor seriam as colheitas, pois as geadas purificavam a terra. No ciclo da liturgia, a quaresma é como o inverno, forma o nosso coração.

No devocionário ao Sagrado Coração de Jesus, encontramos uma invocação: “Fac cor nostrum secundum cor tuum – Fazei o nosso coração semelhante ao vosso.” A pedagogia quaresmal, se bem vivida, forma o nosso coração para ser semelhante, na santidade, ao coração de Nosso Senhor Jesus Cristo.

“É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação”(1Cor 6, 2b). A quaresma é o tempo da graça, oportunidade boa para deixarmos Deus fazer conosco o que Nosso Senhor Jesus Cristo fez com o Apóstolo Pedro na Última Ceia (cf Jo 13,8). Afirma o Papa Francisco na sua mensagem para a quaresma deste ano de 2015: “O cristão é aquele que permite a Deus revesti-lo da sua bondade e misericórdia, revesti-lo de Cristo para se tornar, como Ele, servo de Deus e dos homens.”

Mais do que ação nossa, a formação do coração à semelhança do Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo é obra divina, fruto da atuação em nós do Divino Espírito Santo. Diz o Papa Francisco: “A Quaresma é tempo propício para nos deixarmos servir por Cristo e, deste modo, tornarmo-nos como Ele.”

Nosso coração sofre a tentação de uma dupla indiferença, para com Deus e para com o próximo. A formação do coração, durante a quaresma, quer ser uma oportunidade para curar o pecado da indiferença em sua dupla face, na busca de um coração misericordioso como o de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O Papa Francisco nos diz: “Ter um coração misericordioso não significa ter um coração débil. Quem quer ser misericordioso precisa de um coração forte, firme, fechado ao tentador mas aberto a Deus; um coração que se deixe impregnar pelo Espírito e levar pelos caminhos do amor que conduzem aos irmãos e irmãs; no fundo, um coração pobre, isto é, que conhece as suas limitações e se gasta pelo outro.”

O caminho para a cura do coração, para sanar a indiferença, passa: pela escuta da Palavra de Deus, proclamada na liturgia e através do método da Leitura Orante; pela recepção dos sacramentos, sobretudo da Confissão e a Eucaristia; pela oração, pessoal e comunitária; pelo jejum e penitência; e pelo exercício da caridade.

Sobre a oração, afirma o Papa Francisco: “Podemos rezar na comunhão da Igreja terrena e celeste. Não subestimemos a força da oração de muitos! A iniciativa 24 horas para o Senhor, que espero se celebre em toda a Igreja – mesmo a nível diocesano – nos dias 13 e 14 de março, pretende dar expressão a esta necessidade de oração.” Para a oração comunitária podemos fazer uso do exercício piedoso da Via Sacra e dos encontros da Campanha da Fraternidade, que encontramos no subsídio oferecido pela Diocese  à  Rede de Comunidades.

Sobre a caridade, exorta o Papa Francisco: “Podemos levar ajuda, com gestos de caridade, tanto a quem vive próximo de nós como a quem está longe, graças aos inúmeros organismos caritativos da Igreja. A Quaresma é um tempo propício para mostrar este interesse pelo outro, através de um sinal – mesmo pequeno,  mas concreto – da nossa participação na humanidade que temos em comum.” O fruto do nosso jejum e penitência, a nossa esmola, podemos oferecer à Coleta da Campanha da Fraternidade, no dias 28 e 29 de março, em todas as celebrações da Missa.


+ Tomé Ferreira da Silva

Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Caminho aberto para o início do processo de beatificação do Padre Angelo Angioni

Em fevereiro de 2014, o Instituto Missionário Imaculado Coração de Maria, através da Diocese de São José do Rio Preto, SP, solicitou à Congregação para a Causa dos SFoto da CApa Monsenhorantos, na Santa Sé, em Roma, Itália, a “autorização” para iniciar  processo canônico para a beatificação e canonização do Padre Angelo Angioni, sacerdote de origem italiana, mas que viveu no Brasil, nesta Diocese, em José Bonifácio, grande parte de sua vida sacerdotal.

No final de janeiro de 2015, a Diocese de São José do Rio Preto recebe correspondência da Congregação para a Causa dos Santos, assinada pelo Cardeal Angelo Amato, SDB, prefeito da referida congregação, e pelo Arcebispo Marcelo Bartolucci, secretário da mesma congregação, comunicando que não há nenhum obstáculo para o início do processo para a beatificação e canonização do Servo de Deus Padre Angelo Angioni.

Quando a Congregação para a Causa dos Santos recebe o pedido para a abertura do Processo de Beatificação e Canonização de uma pessoa, o primeiro passo é realizar uma investigação nos arquivos das diversas congregações e organismos da Santa Sé para averiguar se não há alguma informação registrada que pudesse ser um obstáculo para o início do referido processo. Este procedimento foi  realizado no ano passado, 2014, mediante o pedido que realizamos para o Padre Angelo Angioni.

A Diocese de São José do Rio Preto associa-se à alegria e esperança dos membros do Instituto Missionário Imaculado Coração de Maria com este primeiro passo finalizado. Há um longo caminho a ser percorrido. Agora é hora de tomar as providências necessárias e dar o passo seguinte para a continuidade do Processo de Beatificação e Canonização do Padre Angelo Angioni, recolhendo todas as informações existentes sobre a sua vida e ação pastoral como sacerdote.

+ Tomé Ferreira da Silva

Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

JUBILEU DE OURO SACERDOTAL DE DOM LUIZ DEMÉTRIO VALENTINI


O Povo de Deus tem a alegria de celebrar os cinquenta anos de vida sacerdotal de Dom Demétrio Luiz Valentini, Bispo Diocesano de Jales, SP, nascido em 31 de janeiro de 1940, em São Valentim, RS, filho do Sr. Antônio Valentini e D. Tereza Bertoldi.

Sua formação acadêmica: fez os estudos primários nos Seminários de Frederico Westphalen, Tapera e Erechim, no Rio Grande do Sul. O ensino médio foi realizado no Seminário Menor de Erechim, entre 1956 e 1958. Os estudos de filosofia aconteceram no Seminário Maior de Viamão. A formação teológica foi realizada em Roma, Itália, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Formou-se, mais tarde, em letras, em Palmas, no Paraná.

Dom Demétrio foi ordenado sacerdote no dia seis de fevereiro de 1965, em São Valentim, por Dom Cláudio Colling, então Bispo de Passo Fundo. Foi ordenado bispo em 31 de julho de 1982, na Catedral de São José, em Erechim, pelo Arcebispo de Porto Alegre, Dom Cláudio Colling. Seu lema episcopal: “Venho para servir.”

Suas atividades como sacerdote: professor e reitor do Seminário Menor Nossa Senhora de Fátima, em Erechim; professor na Universidade de Passo Fundo e no Centro Universitário de Erechim; promotor vocacional e coordenador do Setor Vocações e Ministérios da Diocese de Erechim; pároco de Aratiba e administrador paroquial de Barra do Rio Azul.

Enquanto Bispo de Jales, também assumiu os seguintes ofícios: coordenador da Pastoral Rural no estado de São Paulo; membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, onde cuidou do Setor de Pastoral Social; presidente da Cáritas Brasileira; membro da Comissão Brasileira de Justiça e Paz; participou do Sínodo dos Bispos para a América; foi membro da Comissão Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz.

O episcopado de Dom Demétrio é importante não só para a Diocese de Jales, mas para o Brasil, não só pelos ofícios que exerce, mas pelo seu modo de ser e agir: um homem de Deus, que constrói sua vida e ação pastoral na comunhão da Igreja, frutos de uma intensa vida de oração; inteligente e culto, coloca seus dons e aptidões a serviço dos que dele precisam; fundado na caridade, tem profunda preocupação com a dimensão social da fé; tem posições objetivas e seguras sobre a vida da sociedade brasileira.

Unidos a Dom Luiz Demétrio Valentini, na oração e no coração, rendemos graças a Deus pela sua vida sacerdotal que produz bons e belos frutos para a Igreja e a sociedade. Que jamais lhe falte a terna e materna proteção de Nossa Senhora da Assunção.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP