PADRE GUIDO BOGOTTO (29/05/1932-15/08/2014)



"E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos, campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna" (Mt 19, 29).


Quando os ipês amarelos floriram, no contraste escandaloso de sua  cor com a secura do chão, na tarde do dia 15 de agosto do ano em curso, memória  de Nossa Senhora da Boa Morte, foi a ocasião escolhida por Deus para que o Revmo. Sr. Padre Guido Bogotto ultrapassasse os umbrais do tempo para ver e viver a vida do outro lado da morte, na eternidade, passando da mortalidade à imortalidade.

Italiano de nascimento, brasileiro de coração, Padre Guido veio à terra de Santa Cruz como religioso comboniano, com coração e audácia de missionário, exercendo o ministério sacerdotal nos Estados do Espírito Santo, na Diocese de São Mateus, trabalhando com Dom Aldo Gerna, e de São Paulo, neste, na Diocese de São José do Rio Preto, onde foi pároco, chanceler, professor no Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus e funcionário do Tribunal Eclesiástico.

A Diocese de São José do Rio Preto agradece:

A Deus pela graça da vida e da vocação do Padre Guido, dons que enriqueceram esta Igreja;

Aos seus familiares, na Itália, que lhe transmitiram e o educaram na fé, suporte sólido para a sua vocação sacerdotal;

Aos missionários combonianos que com paciência e arte esculpiram, como instrumentos do Divino Espírito Santo, o seu coração religioso e sacerdotal e o trouxeram para o Brasil;

Aos que o acompanharam ao longo de sua vida, nesta Diocese, sobretudo no momento da experiência da fragilidade corporal, singularmente a Senhora Cleontina Preatto e os funcionários do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano.

A vida do Padre Guido na Diocese de São José do Rio Preto foi de um incansável e interminável trabalho, como uma formiga, marcada pela constância, competência, discrição e fidelidade à Igreja. Semeou o que devia semear, cultivou o que precisava cultivar, colheu o que foi possível  colher, "combateu o bom combate, terminou a corrida e guardou a fé"( cf 2Tm 4,7).

Rogamos a Deus que lhe conceda a graça da vida eterna feliz e console seus familiares na Itália e seus amigos no Brasil.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

Comentários

  1. Morei no Lar de Fatima de 1957 a 1967, as freiras do Lar e do asilo eram da Congregacao Irmas da Providencia de GAP fundado pelo Beato Pe.Joao Martinho Moye era francês e nao alemão,o Convento no Brasil fica em Itajuba, MG, e em todas as Santas Casas elas tambem estiveram presente, inclusive Monte Aprazivel que nao aparece na materia.Grata Maria José da Silva.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Confira as últimas postagens do site da Diocese de São José do Rio Preto