terça-feira, 17 de junho de 2014

SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

A solenidade litúrgica do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus Cristo, em 19 de junho, é ocasião ímpar para demorar nosso olhar na Eucaristia, salutar alimento para pecadores sabedores de sua fragilidade e que, apesar dela, buscam a perfeição da vida cristã, conscientes de que esta é dom e resposta, ação primeira de Deus que magnetiza o homem através do encantamento do Divino Espírito Santo, que, por sua vez, nos potencializa a responder ativa e eficazmente ao dom recebido.

O grande dia da Eucaristia, sem dúvida, é a quinta feira santa, memória da sua instituição por Nosso Senhor Jesus Cristo, “na última ceia”. Como esta data situa-se no Tríduo Pascal, com apenas algumas horas de uma noite para ser celebrada, antecedendo a Paixão, Morte e Sepultamento do Senhor, não é tempo suficiente para uma solenidade mais prolongada.

Com o passar do tempo, a Igreja foi percebendo a necessidade de um dia próprio para repropor aos fiéis o mistério do Corpo e Sangue do Senhor, alimento e “destino” do coração adorador dos fiéis. Assim, a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo é dia propício que permite ao fiel tornar presente a memória da instituição, a comunhão eucarística, a adoração e a manifestação pública da fé, através da procissão com o Santíssimo Sacramento pelas ruas de cada cidade.

Anualmente, o dia da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo é uma data móvel, a quinta feira após o domingo da Santíssima Trindade. Para nós, fiéis da Igreja Católica Apostólica Romana, é “dia santo de guarda”. O que isto significa?

O mistério da encarnação, morte e ressurreição de Jesus Cristo santifica a pessoa humana, o mundo, a história e também o tempo. Destacamos alguns tempos específicos do tempo já santificado para ressaltar neles alguns Mistérios fundamentais da fé, e os chamamos de dias santos: o domingo, nossa páscoa semanal; o dia do nascimento de Jesus, 25 de dezembro; a recordação de Nossa Senhora Mãe de Deus, em 01 de janeiro; a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, em 08 de dezembro e o dia da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Estes dias santos  devem ser guardados, isto é, vividos de modo peculiar, diferente dos demais dias da semana ou do ano. O que fazer para guardar um dia santo? Alguns elementos são importantes: participação na Santa Missa; dedicar um tempo maior à oração pessoal e comunitária; visitar os enfermos e outros necessitados; oração e convivência familiar; descanso do trabalho e lazer. Não sendo possível fazer tudo, sobretudo quando não é feriado civil, não podemos dispensar nunca a participação na Santa Missa.

Na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo espera-se que o fiel participe da Santa Missa e receba a Eucaristia, participe da procissão e dedique um tempo razoável e bom para a adoração ao Santíssimo Sacramento, particular e ou comunitariamente. Estas atividades não podem e não deveriam ser ignoradas por nós, amigos de Nosso Senhor Jesus Cristo, neste dia.

Na Igreja Católica Apostólica Romana, a procissão é uma manifestação pública da fé, expressão típica da piedade popular. São muitas as procissões: dos santos padroeiros das cidades e paróquias, durante a Semana Santa, as penitenciais, as que pedem chuva ou bom tempo e as devocionais. No entanto, algumas procissões são singulares e assumem um lugar especial na vida do fiel católico, diria que são “quase litúrgicas” e sumamente recomendadas: procissão de ramos, no domingo que inicia a Semana Santa; trasladação do Santíssimo Sacramento, na quinta feira santa; procissão da ressurreição de Cristo, após a Vigília Pascal; procissão do Santíssimo Sacramento na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Neste 19 de junho celebremos alegremente, com coração de adoradores, a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo.


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário