quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

CARDEAL DOM ORANI JOÃO TEMPESTA, OCist

A Diocese de São José do Rio Preto, SP, alegra-se com a “criação” de Dom Orani João Tempesta, OCist, Digníssimo Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, como cardeal da Igreja Católica Apostólica Romana, pelo Santo Padre o Papa Francisco, por ocasião da festa da Cátedra de São Pedro, em Roma.

Algumas arquidioceses brasileiras são tradicionalmente “ocupadas” por cardeais: Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro.  Mas Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília também já tiveram cardeais à frente do governo pastoral. Nos últimos anos, a Arquidiocese de Aparecida também tem sido governada por cardeais.

O Brasil, talvez pelo significativo número de católicos e pela vitalidade pastoral da Igreja aqui presente, tem sempre sido agraciado com a criação de algum cardeal. Hoje temos um número significativo de cardeais vivos: em São Paulo, temos Dom Paulo Evaristo Arns, ofm, Dom Cláudio Hummes, ofm e Dom Odilo Pedro Scherer; em Belo Horizonte, Dom Serafim Fernandes de Araújo; em Brasília, Dom José Freire Falcão; em Salvador, Dom Geraldo Majella Agnello; em  Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis; no Rio de Janeiro, Dom Eusébio Oscar Scheid, scj e Dom Orani João Tempesta, OCist.; em Roma, Dom João Braz de Aviz.

No episcopado brasileiro, Dom Orani ocupa um lugar singular, pois sua “matriz” de vida ministerial nasce entre os monges, no interior do estado de São Paulo, sob o influxo de paulistas e mineiros. O fecundo episcopado em São José do Rio Preto, SP, fez com que fosse nomeado Arcebispo de Belém, no Pará, de onde veio  para a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. A sua vida religiosa e ministerial está marcada pela caridade pastoral junto das comunidades e dioceses, procurando responder aos seus desafios ordinários com o espírito de Jesus Cristo Bom Pastor e numa fidelidade amorosa, e um amor fiel, à Igreja, Mãe e Mestra.

Entre tantas capacidades, virtudes e habilidades de Dom Orani, destaco sua inteligência pragmática, visão propositiva da pastoral na Igreja, abertura e sustentação para novas modalidades de viver a fé, sua conectividade com os meios de comunicação, capacidade de responder imediatamente a questões e desafios pastorais, resiliência e adaptabilidade a novas situações, flexibilidade no contato com outros poderes constituídos da sociedade e respeito pelo outro e pelo diferente.

Talvez o segredo da vitalidade pastoral sempre renovada do novo purpurado seja o seu “enamoramento” com Nosso Jesus Cristo, ainda com a força do primeiro amor, acolhido e vivido tal como proposto pela Igreja, a quem ele ama desmesuradamente. Ele ama o Cristo da Igreja e por isso ama a Igreja de Cristo.

Nós, fiéis da Diocese de São José do Rio Preto, SP, leigos, religiosos, consagrados e ordenados,  nos alegramos e saudamos Dom Orani, assegurando-lhe  nossas humildes preces e amizade. Que jamais lhe falte o terno e materno amor de Nossa Senhora, assistindo-o permanentemente nos novos ofícios e responsabilidades como membro do Colégio Cardinalício  da Igreja e cooperador próximo do Santo Padre o Papa Francisco.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

Um comentário:

  1. Dom Tomé, que Deus continue te iluminando para continuar nos colocando no caminho perfeito de DEUS.

    ResponderExcluir