terça-feira, 19 de novembro de 2013

PARUSIA.

Novembro e dois mil e treze terminando. Com o “tempo do advento”, novo ano litúrgico na Igreja. A Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, marca o fim de um ciclo anual e convida a iniciar um outro com o olhar voltado para a “parusia”.

A expressão “parusia” vem da língua grega, “parousia”, e significa “presença”. No helenismo, quando a cultura grega se espalha pelo império romano, a expressão passou a ser usada para designar a visita de um príncipe ou a manifestação de um deus.

Na Bíblia, Novo Testamento, a expressão “parusia” designa a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo em sua glória. O termo aparece seis vezes nas cartas aos tessalonicenses: 1Ts 2,19; 3,13; 4,15; 5,23; 2Ts 2,1.8; uma vez em 1Cor 15,23. Nos evangelhos sinóticos aparece em São Mateus: 24, 3.27.37.39. Pode ainda ser encontrado em: 1Jo 2,28; 2Pd 1,16; 3,4.12; Tg 5, 7s. O evangelista São Lucas não usa o termo parusia, mas o equivalente “dia do Filho do Homem”: Lc 17,24.26.

Para nós cristãos, a Parusia significa  a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo em sua glória. Esta expectativa tem origem  logo após a Páscoa. “O retorno glorioso de Cristo, ainda por acontecer, para o juízo, mas também para a consumação do evento salvífico que começou com sua encarnação e chegou ao seu ponto alto provisório no mistério pascal e se realiza continuamente  no encontro salutar do ser humano com Cristo na Palavra, no sacramento e na vida cristã. Essa parusia é um componente alvo de cada celebração litúrgica, especialmente da Eucaristia (‘até que Ele venha’; cf 1Cor 11,26), e tem grande importância nos textos litúrgicos da primeira fase  do Advento até inclusive 16 de dezembro e na estrutura da noite de Páscoa.”(Berger, Rupert, Dicionário de Liturgia Pastoral, Edições Loyola).

A Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, nos introduz na contemplação do mistério de sua parusia, que aguardamos na fé e na esperança: “Maranatá”, vem Senhor Jesus! Ao mesmo tempo, neste ano de 2013 esta Solenidade assinala a conclusão do “Ano da Fé”, iniciado pelo Papa Emérito Bento XVI, em novembro de 2012. Deixemos  ressoar no nosso coração a pergunta de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Mas o Filho do Homem, quando vier, será que vai encontrar fé sobre a terra?”(Lc 18,8)

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

Um comentário:

  1. “Mas o Filho do Homem, quando vier, será que vai encontrar fé sobre a terra?”(Lc 18,8)
    De fato, do jeito como as coisas vão, há varias apostasias, a começar de religiosos - seriam infiltrados na Igreja pelos globalistas para a denegrir - desde a década de 30 por Lênin, mantida a sequencia pelos sucessores marxistas.
    O abaixo elucida-o bem:
    O plano diabólico da Alta Venda Maçônica foi claramente revelado na carta de Vindice a Nubius ( 9 de Agosto de 1838):
    "Não se deve individualizar o crime; devemos generalizá-lo para crescer até as proporções do patriotismo e do ódio contra a Igreja. Um golpe de punhal não significa nada, não produz nada... O catolicismo não teme mais que a monarquia um punhal afiado; mas essas duas bases na ordem social podem cair pela corrupção; por isto não cessemos de corromper. Foi decidido em nossos conselhos que não queremos mais cristãos; por isto não façamos mártires, mas popularizemos o vício nas multidões. Respirem os povos o vício pelos cinco sentidos, e dele se saturem. Fazei corações viciosos e não tereis mais católicos. Apartai o padre do trabalho, do altar e da virtude, procurando com destreza que ele ocupe em outras coisas os seus pensamentos e o seu tempo. Tornai-o ocioso, glutão e patriota, e assim ele se fará ambicioso, intrigante e perverso... O que devemos empreender é a corrupção em massa, a corrupção do povo pelo clero e do clero por nós, a corrupção pela qual levaremos um dia a Igreja à sepultura. "Para abater o Catolicismo, é preciso começar por suprimir a mulher!" É verdade, mas desde que não podemos suprimir a mulher, corrompamo-la com a Igreja. Corruptio optimi pessima. O fim é bastante belo para tentar homens como nós... O melhor punhal para ferir a Igreja no coração é a corrupção" ( Padre Teófilo Dutra, "As Seitas Secretas" 213,2114, 219; Léon de Poncins - La F.'. M.'. Paris, 1936, pg 134-126).
    Obs: padres patriotas(?), os da TL!
    Na Italia, um aviso da Alta Venda: "Lançai vossas redes como Simão Bar-Jonas; lançai no fundo das sacristias, dos seminários e dos conventos... e se andais com prudência nós vos prometemos uma pesca mais miraculosa que a sua". "Apartai o padre da sacristia, do altar, da oração, da virtude..." (De Nubius, chefe da Alta Venda; Padre T. D. o. cit. pg. 218, 219).
    AGORA, O COMPLEMENTO DE UM TRECHINHO DE N. SENHORA EM LA SALLETTE:
    Em 1846 N Senhora previu que no ano de 1864, Lúcifer será solto do inferno, juntamente com um grande número de demônios. Eles vão pôr fim à fé pouco a pouco, mesmo naqueles que se dedicam a Deus. Eles irão cegá-los de tal maneira que, a menos que recebam uma graça especial, essas pessoas irão assumir o espírito desses anjos do inferno; várias instituições religiosas perderão toda a fé e perderão muitas almas.
    Livros maus serão abundantes na terra e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo que concerne ao serviço de Deus. Os chefes, os líderes do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência, e o demônio obscureceu sua inteligência. Eles tornaram-se estrelas errantes que o velho demônio arrastará com sua cauda para fazê-los perecer.
    É estonteante considerar até mesmo algumas das realizações deste “único e mesmo plano (Maçônico)”: a legalização do divórcio e do aborto; a acessibilidade, mesmo para as crianças, de todos os tipos de contracepção; a educação sexual nos programas escolares; a degradação das mulheres através de modas indecentes; a homossexualidade; a eutanásia; a violência e pornografia nos meios de comunicação, filmes e teatro… Quem não consegue ver que esses crimes estão clamando ao céu por vingança e que a vingança deve se abater sobre nós?
    Creio que chegamos a isso por religiosos infiltrados ou cooptados pelo marxismo (ou satanismo) e teriam seduzido multidões que os colocaram no poder. E no Juízo Final, de como se justificariam sedizentes cristãos mas elegeram para os governar com suas leis ateístas justamente os mais ferrenhos e hostis a Jesus, os comunistas (ou satanistas)?
    A bênção, D Tomé!

    ResponderExcluir