terça-feira, 14 de maio de 2013

A UNIDADE DOS CRISTÃOS.

Nesta semana, de 12 a 19 de maio, liturgicamente situada entre a Solenidade da Ascensão de Jesus ao céu e a Solenidade de Pentecostes, isto é, a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, a Virgem Maria e os discípulos reunidos no Cenáculo, em Jersusalém, ocorrida cinquenta dias após a ressurreição de Jesus Cristo, são dias de oração pela unidade dos cristãos.

Encontramos no mundo uma diversidade de religiões, que muitas vezes se confundem com culturas, como o hinduísmo e o budismo, ou as antigas religiões gregas e egípcias. No ocidente conhecemos as três grandes religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo e islamismo, com raízes comuns no Antigo Testamento, a primeira parte da Bíblia. Não olvidamos as religiões de matriz africana.

A partir de Nosso Senhor Jesus Cristo nasce e se desenvolve o cristianismo. Ao longo da história, nestes vinte e um séculos, o cristianismo, originalmente unitário, sofreu diversas divisões, sobretudo a partir do século XVI, dando origem a outros segmentos religiosos cristãos, sendo os primeiros quase sempre originados a partir da Igreja Católica Apostólica Romana.

Nos países da Europa e da América do Norte,  as “igrejas protestantes históricas”, como os anglicanos e calvinistas, foram dando origem a outros grupamentos religiosos cristãos que foram se espalhando pelo mundo. No Brasil, mas também em outros países,  ocorreu mais recentemente uma explosão de novos grupos religiosos denominados de “evangélicos pentecostais”.

Hoje é comum encontrar nas famílias brasileiras membros de um mesmo clã pertencentes a grupos religiosos diferentes, cristãos ou não. O mesmo ocorre nas escolas, nos ambientes de trabalho e  lazer. Em alguns momentos a convivência não é tão pacífica quanto pode parecer, pois não são incomuns casos de hostilidade e olhares de desconfiança. Nem sempre a tolerância está presente na convivência diária.

Nas famílias, quando não ocorre o respeito pela liberdade religiosa do outro cônjuge, ou na hora de decidir o modo da educação religiosa dos filhos, surgem diversas dificuldades, podendo levar à desintegração do núcleo familiar. O mesmo se dá no ambiente escolar e de trabalho. Na origem causal das dificuldades muitas vezes está o proselitismo e ou a “demonização” do outro grupo religioso.

Nosso Senhor Jesus Cristo, no seu testamento espiritual, que encontramos no capítulo dezessete do Evangelho de São João, reza a Deus Pai pela unidade dos apóstolos e discípulos, e por aqueles que chegarão à fé n’Ele por intermédio da pregação destes ao longo da história: “Doravante, eu não estou mais no mundo, e eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que tu me deste, para que eles sejam um como nós somos um”(Jo 17, 11). E ainda: “Rogo por aqueles que, graças à sua palavra, creem em mim, que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti; que também eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste”(Jo 17, 20-21).

A unidade dos cristãos, isto é, dos amigos de Jesus Cristo, dos que o conhecem, amam e seguem-no, responde a um desejo explícito d’Ele. E mais, é condição para que as pessoas no mundo depositem n’Ele a sua esperança de salvação, acolhendo-o como Deus, Senhor e Juiz da história. São palavras e desejo tão claros que não necessitam de interpretação ou exegese: “QUE TODOS SEJAM UM.”

Como se não bastasse o apelo de Nosso Senhor Jesus Cristo para a unidade dos cristãos, esta é hoje uma exigência social no Brasil, creio que também em outros países, em favor da paz e da fraterna convivência na família, na escola, no trabalho e na vida social. Para isto, precisamos também de liberdade religiosa, de respeito à presença pública das religiões e igrejas, tolerância e respeito entre os diversos credos religiosos e entre os seus membros.

Rezemos e sejamos promotores da unidade entre os cristãos. Que a promoção desta unidade comece e se desenvolva já a partir da família e dos ambientes comuns que frequentamos na sociedade, sobretudo escola e trabalho, esta é uma unidade existencial, possível para todos e cada um, que deve prosseguir caminhada para o diálogo teológico e disciplinar, ecumênico e inter-religioso, para que se realize a profecia e desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Eu tenho outras ovelhas que não são deste redil, e também a estas é preciso que eu conduza; elas ouvirão a minha voz, E HAVERÁ UM SÓ REBANHO E UM SÓ PASTOR”(Jo 10, 16).


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

8 comentários:

  1. Boa Noite gostei muito do seu comentario e gostaria de dizer que devemos ser como Maria unidos a Jesus e os apostolos, por isso jamis devemos descriminar os outros, Dom Tome me perdoe se estou errada, mas fiquei sabendo que o senhor nao quer que mulheres fiquem no altar durante a celebraçao maior a missa que me perdoe se estou equivocada mas se for verdade gostaria que explicasse sua atitude sua uma crista e amo minha igreja por favor me perdoe se for mentira mas fui informada destas ocorrencia,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marian,
      Salve Maria!
      Nosso Senhor escolheu doze apóstolos e nenhuma "apóstola". Obviamente os apóstolos tem como papel fundamental a liturgia. A Liturgia sempre foi na Igreja realizada pelos homens, essa é a tradição da Igreja. Aliás a mulher na igreja DEVE vestir-se com véu, pois a mulher que vai à Igreja sem véu desrespeita a Deus. A mulher, na igreja, deve ficar em silêncio, vestindo roupa decente e com véu. Assim fazia Nossa Senhora quando estava no templo rezando. Assim fazia Santa Edwiges, Santa Brígida, Nhá Chica e todas as santas que são a honra da igreja e exemplo para todas as outras mulheres.
      Veja que quem fala isso não sou eu mas sim São Paulo apóstolo: "Julgai entre vós mesmos: é decente que uma mulher reze a Deus sem estar com a cabeça coberta com véu?"(I Coríntios 11, 13).
      Se Dom Tomé tomou a iniciativa de que somente os homens auxiliem na liturgia isso é ótimo! Pois é o correto! Graças a Deus!
      Deus criou o homem e a mulher para que cada um fique no seu lugar. O homem no lugar do homem, a mulher no lugar da mulher (e esta quando estiver na igreja deve estar com véu!).
      Que Nossa Senhora nos ensine a agradar sempre a Deus, sobretudo na Missa!

      Nathan de Matos.
      São José do Rio Preto/SP.

      Excluir
    2. Ops... cometi erro de digitação: Marian, a citação correta de São Paulo é: "Julgai vós mesmos: é decente que uma mulher reze a Deus sem estar coberta com véu?" (I Coríntios 11,13). E também diz São Paulo: "Toda mulher que ora ou profetiza, não tendo coberta a cabeça, falta ao respeito ao seu senhor(...)"(I Coríntios 11, 5).
      Salve Maria!
      Nathan.

      Excluir
  2. Caro Nathan....é uma tristeza muita grande, ainda em saber que existe pessoas como você. Pobre de palavras, sentimentos e até mesmo da verdadeira palavra de Deus.
    Deus é amor, paz, vida...e somos todos iguais, homens e mulheres.
    O comentário a resposta de Marian, foi de tamanha infelicidade. Nunca havia entrado nesse blog, mas me surpreendi.
    Hoje vivemos uma igreja repleta de transformações; aberta a ideias, a inovações, ao crescimento de fiéis e a fazer que mais pessoas venham viver o verdadeiro amor de Cristo pelos homens.
    Eu sou de uma comunidade cristã muito simples e bem pobre, onde nossas celebrações eucaristicas são de uma profunda riqueza, vivendo o verdadeiro sentido de ser cristão...e também onde as mulheres deixam suas casas para ir lavar a igreja, rezar novenas, pregar o evangelho aos doentes, ação cominitarias, etc...e me vejo no infeliz comentario de Nathan.
    À você cara Marian, nao sei qual será a resposta de Dom Thomé, mas onde tem fumaça existe fogo e tambem me fez refletir no tempo de criançã, quando minha mae debruçava na minha cama e cantava Maezinha do céu.

    O que seríamos de nós sem saber rezar Ave maria...sem pedir para Maria proteção, amparo, conforto de alma.
    Maria que foi e será MULHER, exemplo de Mae, mulher e Cristã. Que passou a sua vida a servir a Deus, como propósito a ela destinado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado "Anônimo",
      Salve Maria!
      Sim, ainda existem pessoas como eu, pois ainda existem pessoas católicas. São Paulo apóstolo era e é católico. Agora esta lá no céu, intercedendo por mim e por você. Não sei o motivo de sua tristeza... coloquei citações de São Paulo apóstolo. Ora, as palavras de um apóstolo deveriam causar alegria aos corações católicos... sobretudo deveria levar a vontade dos católicos a cumprir o que o apóstolo ensina: neste caso, o uso do véu pelas mulheres. Como eu disse, esse costume é desde os tempos apostólicos da Igreja.
      Você, "Anônimo", disse que a Igreja esta repleta de transformações e de idéias... meu caro, a Igreja não pode estar repleta de ideias, porque Deus não muda "Porque eu, o Senhor, não mudo" (Malaquias 3:6) e mais: a Igreja Católica é a portadora da Verdade, como ensinou o Papa, e a verdade não muda. A verdade é imutável, como Deus é imutável.
      E veja que eu nada disse sobre as mulheres rezarem terço, novenas, visitar doentes e tudo mais... isso é obrigação de todo católico, seja homem ou mulher. O que é errado é a mulher servir ao altar na Santa Missa. Na Missa, o altar é o lugar do Bispo, do padre e dos acólitos (esses últimos somente para auxiliar).
      E saiba que nas missas onde vejo mulheres usando véu, as que o estão usando são as mais jovens... já as velhas...
      "Anônimo", os jovens tem a coragem da verdade católica nas veias e a maioria deles, quando conhecem a tradição bimilenar da Igreja, a abraçam com alegria! E com Maria! E com o Papa!
      Salve Maria!

      Nathan.

      Excluir
  3. Que o Espirito Santo nos ilumine neste ano da fe, Nathan Jesus morreu pela descriminação foi contra todo tipo de exclusividade olha o nosso papa Francisco mostrando a humildade por que vir com este tipo de comentario ou ações? Estamos perdendo cada dia catolicos para outras religiões vamos deixar o amor reinar se as mulheres tem toda a capacidade se servir a Deus como fez Maria Madalena Marta e outras vamos louvar a Deus que existem pessoas que queiram dedicar seu tempo para servir como Jesus disse eu vim para servir e nao ser servido e sentou-se a mesa para ceiar com todo tipo de pessoa sem escolher com quem sentar-se e amava a cada um e disse que devemos servir os pobres e a todos filhos mais humilde e nao escolher quem sentar a sua direita ou esquerda vamos amar e as mulheres elas trabalham muito e tem o direito de estar presente na santa Eucaristia os musulmanos pensam da mesma maneira que voce e por isso estao matando pessoas para serem os melhores e terem o poder maior. Vai participar de algum movimento onde tem mulheres assim veras quem somos,,,,,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marian,
      Salve Maria!

      Nosso Senhor não morreu pela "descriminação". Nosso Senhor morreu por culpa de nossos pecados. Foram nossos pecados que O levaram à morte. Aconselho à senhora ler o Terceiro Catecismo da Doutrina Cristã. Este catecismo é bem simples e fácil de entender. Lá a senhora verá por qual motivo Nosso Senhor morreu.
      Vejo que a senhora faz confusão entre participar da Missa e fazer os atos litúrgicos. Todos nós, homens e mulheres devemos participar com atenção e devoção na Santa Missa, no entanto, no altar, no auxílio litúrgico, deve estar sempre os homens. Por que? Porque assim Deus determinou e esta sempre foi a prática na igreja. Obviamente as mulheres podem participar do coral, realizar terços, dar aulas de catecismo e etc. Conheço muitas mulheres que se dedicam inteiramente a Deus e nem por isso fazem funções litúrgicas no altar. O altar é lugar do clero!
      E veja, dona Marian, que não fiz nenhum juízo particular da senhora mas a senhora me chamou de muçulmano e disse que eu, como eles, quero ter "poder maior". Dona Marian, graças a Deus não sou muçulmano. Sou Católico. Pertenço à única e verdadeira religião, graças a Deus. E pra ser sincero, a única "bomba" que as vezes acendo é o tal de "track" que a gente compra até na feira e que a gente vê nas festas juninas :)
      A senhora, pelas mensagens, demonstrou ignorância doutrinária e também me julgou sem me conhecer, chamando-me até de muçulmano.
      Reveja seus conceitos, dona Marian. O uso do véu é ordem de São Paulo apóstolo e tradição da Igreja Católica.
      Reze o terço todos os dias e estude mais o Catecismo. Espero que a nossa conversa termine aqui.

      Ah! Antes que eu me esqueça: a senhora quer ser mais humilde? Começe então usando o véu na Santa Missa. O uso do véu é também um ato de humildade da mulher quando reza a Deus.
      Salve Maria puríssima!

      Nathan de Matos.

      PS: Dona Marian, a senhora já viu Nossa Senhora sem véu?...

      Excluir
  4. TROCAR A IGREJA DE CRISTO POR SEITAS PARALELAS HUMANO-FUNDAMENTADAS?
    O SUPOSTO EVANGÉLICO É INCOERENTE, IGNORANTE RELIGIOSO OU POR CONVENIÊNCIAS .
    Os pastores protestantes sendo relativistas, comportam-se como alheios à historicidade de fatos ou preferem-no por conveniência - talvez a maioria não quer perder o emprego, os clientes - subjugam católicos ignorantes na fé, desconhecedores de exegética e muito menos de apologética cristã em questionamentos conhecidos, em que se aproveitam de incautos: como na hipotética questão de adoração de imagens e prestação de culto deusificante à Virgem Mãe etc. e outras invencionices.
    A questão de se ajoelhar aos pés de imagens, por ex., ao citar-lhes o episódio de Moisés lançar-se aos pés de se sogro, Ex 18,7 e o pai e irmãos de José do Egito, Gn 43,26 e 44, 14 etc., como saudação e semelhantes fazem-nos furiosos e logo se vão. Aliás, se cada paróquia possuísse algo nesse sentido para instruir melhor os católicos, alguns não bandeariam para as seitas.
    Todas as seitas são ideologias religiosas, reinos divididos contra si mesmos, acusam-se de hereges, subsistem às dezenas de milhares divididamente entre si e mesmo dentro de uma seita há várias, pois como há a livre interpretação, cada um entende e ensina como quer ou convém e até as instruções bíblicas do pastor são submetidas a critérios pessoais de aceitação ou não.
    Os pastores se contradizem uns aos outros, muitos acusam os colegas de pertencerem à maçonaria, em especial os da cúpula, tendo sentido por não haver perseguição dela aos protestantes, convivem muito bem. Aliás, há algumas seitas que as fachadas externas parecem-se com lojas maçônicas, o triângulo bem em cima, como a Universal...
    Há igrejas que admitem até aborto, umas homosexualismo, outras bispas... Muitas negociam e votam em candidatos e partidos socialistas, como a Universal, do PRB Edir Macedo, da base de apoio aos comunistas do PT...
    Não há Bíblia sem a Igreja católica; primeiro existiu a Igreja, depois a Bíblia: mas já existiu Igreja sem Bíblia, evangelizando somente à base da Tradição até por mais de 1600 anos, em viagens missionárias - pois até além dessa data não a havia disponível de forma portante, por não existir imprensa e comununicações.
    Confira no YouTube as querelas entre famosos pastores sob diversos ângulos, inclusive de acusações de incidência em heresias(!) e pertença à maçonaria e famoso pastor Valdemiro Santiago afirmando que cruz é "palhaçada, sinônimo de maldição"...
    Tem me parecido, em geral, duas coisas básicas: pertencer a uma dessa seitas é atestado público de ignorância religiosa e ou cabeça-dura anexo ou interesses pessoais; alguns já demonstraram tratar-se mera conveniência, por outros motivos inclusive, como me disse um pastor: é aqui que tiro sustento de minha família...
    Aliás, muitas igrejas de fachadas evangélicas transformaram-se em empresas rentáveis de intermediação de milagres(?), turbinamento financeiro e quase todas praticam cultos semelhantes a centros espíritas como gritarias centros supostas expulsões de maus espíritos para cura e pessoas em transe...
    Auto proclamando-se pertencerem à Igreja católica há grupos rebeldes RCCs, dissensos às rígidas normas da comportamento às reuniões praticando o mesmo culto protestante pentecostalista, como "curas, libertação, baixa de entidades e expulsão de maus espíritos"; os dois termos: "cura e libertação" em geral camuflam: o primeiro: pentecostalismo protestante e o segundo: ações de partidos comunistas, "libertando" os oprimidos; nos RCCs, seria a porta de entrada ao pentecostalismo protestante e no segundo cairem sob as garras comunistas, dos burgueses, elitistas e capitalistas de Estado muito opressores, materialistas e ateus, das mesmas ideologias básicas dos nazistas e fascistas!

    ResponderExcluir