Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Decreto de Concessão de Indulgência Plenária para o Ano da Fé - 2013

Imagem
 Aos que este nosso Decreto virem, graça e paz! Animado pelo Espírito Santo, que nos concede e ajuda a conservar, cultivar e transmitir o precioso dom da Fé, em comunhão com a Igreja, oferecemos as seguintes orientações sobre as indulgências oferecidas pela Igreja, neste Ano da Fé, para os fiéis da Diocese de São José do Rio Preto, SP. Considerando: - que o Papa Bento XVI, na Carta Apostólica Porta Fidei, promulgou o Ano da Fé; - a convocação do Santo Padre para que os fiéis celebrem com intensidade e fervor este Ano da Fé; - que a Fé deve ser alimentada pela Palavra de Deus, pela Sagrada Tradição, pelo Magistério da Igreja, pela recepção dos sacramentos, de modo especial a Penitência e a Eucaristia, pelo conhecimento da doutrina católica contida no Catecismo da Igreja; - que este período é um convite para um autêntico e renovado encontro com Nosso Senhor Jesus Cristo, único Salvador do mundo, e convencidos de que Deus revelou plenamente o Amor que salva e chama os homens à c

Os jovens Davi e Jônatas

Imagem
Encontramos na Sagrada Escritura edificantes e bonitas histórias. Como não se encantar com a história de José do Egito, ou de Rute, de Moisés, de Abraão, de Tobias, entre outras?  No contexto da Campanha da Fraternidade deste ano de 2013, que tem os jovens por objeto, vale a pena recordar a história  de Jônatas e Davi, narrada no Primeiro Livro de Samuel, que poderia ser uma boa opção de leitura para os jovens nesta quaresma e boa preparação para a Jornada Mundial da Juventude, em julho, no Rio de Janeiro, precedida pela Semana Missionária a ser realizada em nossas paróquias. Jônatas e Davi eram jovens: Jônatas era filho de Saul, Rei de Israel; Davi, fora escolhido por Deus para suceder a Saul no governo do Povo Eleito. Longe de sentir-se traído por Davi, Jônatas, o herdeiro natural do trono, estabelece com ele uma profunda relação de amizade e admiração, pois reconhece-o como  escolhido de Deus para conduzir o seu povo. Não se desenvolve entre ambos o ciúme e a inveja, mas a mútu

Via-sacra, a oração da piedade popular na quaresma.

Imagem
Uma das obras típicas da quaresma, juntamente com o jejum e a caridade, a oração é um precioso auxílio para a conversão, retorno a uma convivência amiga com Nosso Senhor Jesus Cristo. São muitas as formas de oração, mas nenhuma delas se sobrepõe à celebração da Eucaristia, referencial, ponto de partida e de chegada para as outras formas de oração. A Via-Sacra é uma oração, valiosa expressão da piedade popular, muito usada no tempo da quaresma, sobretudo nas sextas feiras, dia da semana em que se recorda o mistério da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em quinze momentos, denominados estações, se faz a recordação, iluminada pela Bíblia e pela Tradição, dos últimos momentos da vida de nosso Divino Salvador, da sua prisão à sua ressurreição. Entre um passo e outro, canta-se um piedoso lamento, intercalado com um belo refrão dedicado a Nossa Senhora das Dores: “Pela Virgem Dolorosa, vossa Mãe tão piedosa, perdoai-me meu Jesus, perdoai-me meu Jesus.” Em nossas igrejas, nas

Abertura do ano letivo no Seminário Maior Diocesano Sagrado Coração de Jesus

Imagem
Imagem
          FRATERNIDADE E JUVENTUDE. A Igreja Católica Apostólica Romana, no Brasil, realiza no período quaresmal, de 13 de fevereiro a 24 de março de 2013, a Campanha da Fraternidade, um intensivo tempo de ação pastoral que atinge todas as dioceses brasileiras. O tema deste ano é “FRATERNIDADE E JUVENTUDE.” A expressão “juventude” designa um momento da vida, é um conceito; a palavra “jovem” designa uma pessoa, um existente. O objeto da Campanha da Fraternidade não é a juventude, mas os jovens, os jovens brasileiros. Hoje no Brasil, há uma exaltação da juventude, mas nem sempre uma acolhida aos jovens. Os jovens  vivem situações peculiares na sociedade brasileira. São muitas as oportunidades de acesso a educação, saúde, trabalho e lazer. Na família, recebem uma atenção mais prolongada dos pais e avós. Não obstante isso, inúmeros jovens não possuem acesso a educação e saúde de qualidade, encontram dificuldade de inserção no mercado de trabalho, experimentam a escravidão dos vício

JEJUM E ABSTINÊNCIA

A quarta feira de cinzas e a sexta feira santa, memória da Paixão e Morte de Cristo, são dias de jejum e abstinência de carne. Estão OBRIGADOS à lei da ABSTINÊNCIA DE CARNE aqueles que tiverem completado 14 anos de idade. Estão OBRIGADOS à lei do JEJUM todos os que completaram 18 anos até os 60 anos começados. No Brasil, toda sexta feira é dia de penitência. Os fiéis se abstenham de carne ou outro alimento, ou pratiquem alguma forma de penitência, principalmente obra de caridade ou exercício de piedade. Também os que não estão obrigados à lei do jejum e da abstinência de carne, sejam estimulados à prática penitencial. A abstinência pode ser substituída por outra prática de penitência, caridade ou piedade, particularmente pela participação nesses dias na Sagrada Liturgia. Boa e santa Quaresma a você e aos que ama.

QUARESMA: A ESMOLA, A ORAÇÃO E O JEJUM.

Imagem
A vida litúrgica da Igreja Católica Apostólica Romana tem dois grandes núcleos: a ressurreição e o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os fiéis se aproximam da celebração litúrgica destes eventos da salvação com uma adequada preparação desenvolvida ao longo dos tempos denominados de quaresma e advento. As celebrações das duas solenidades são prolongadas através do tempo pascal e do tempo do natal. A Quaresma, precedida pelo carnaval que originalmente era restrito a uma terça feira quando  se despedia das festas na iminência de começar um retiro espiritual, é um tempo sóbrio e austero, marcado por três obras bem específicas: o jejum, a oração e a esmola, muito bem descritos no Evangelho de São Mateus, capítulo seis, versículos um a dezoito. Para nós, fiéis da Igreja Católica Apostólica Romana, a quaresma é tempo sério de penitência e conversão que não deve ser vivido do mesmo modo como os outros dias do ano. O modo como ele é assumido é determinante para a forma como se viver

Seria possível brincar o carnaval de modo cristão?

Imagem
Estamos próximos do carnaval, festa espalhada por muitos países, mas que no Brasil adquiriu uma feição singular, senão única: pela extensão da duração, pela diversidade das expressões regionais, pelo investimento público e privado realizado, como momento de expressão de facetas culturais diversificadas, pela alegria com que é vivido e pelos excessos. Em muitos países, como foi na sua origem, o carnaval é vivido em um único dia, na terça feira que precede a quarta feira de cinzas. Este era o dia em que, na iminência da quaresma, tempo de jejum, oração, penitência e caridade, os cristãos se permitiam uma despedida das carnes, bebidas e festas com uma intensidade maior. Entre nós o carnaval nem mais é vivido em quatro dias, de sábado a terça feira, mas inicia-se na sexta feira. Em muitos lugares inicia-se no ano novo, em outros se estende para o interior da quaresma. Diversas cidades realizam um carnaval fora de tempo. Há um exagero na extensão do carnaval brasileiro, que oficialmente

Confira as últimas postagens do site da Diocese de São José do Rio Preto