terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Diocese de São José do Rio Preto, 84 anos de história.


No dia 25 de janeiro, festa da conversão de São Paulo, Apóstolo, celebramos 84 anos da criação da Diocese de São José do Rio Preto. É hora de memória, gratidão, compromisso e esperança. Recordamos no coração e na oração os fiéis, ordenados ou não, que nos precederam, desde antes da criação da diocese, quando ainda éramos parcela da grande, fecunda e matriarcal Diocese de São Carlos.

A partir de 25 de janeiro de 1929, quanta labuta pastoral, com ânimo missionário, foi empreendida para que a salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo chegasse aos que moravam nestas belas e promissoras terras do noroeste paulista, através da pregação do evangelho, da administração dos sacramentos, da caridade pastoral e da criação e organização de tantas paróquias com suas respectivas pastorais, movimentos, associações religiosas e novas comunidades. Neste processo não esquecemos a contribuição de tantas congregações religiosas, femininas e masculinas.

A memória dos antepassados é mais do que uma recordação, é um trazê-los ao presente, o que é possível através do mistério da comunhão dos santos e da ação do Divino Espírito Santo, deixá-los falar para aprendermos com eles o segredo de tamanho zelo apostólico que fez semente tão frágil, inicialmente apenas quinze, tornar-se árvore frondosa com tão variados e saborosos frutos que prosperam em nossas quase cem paróquias. Deus seja louvado por estes 84 anos de história!

Do coração brota o sentimento de gratidão aos fiéis, ordenados ou não, que com sua presença e ação deram e dão vida a esta Diocese de São José do Rio Preto. Quantos fiéis anônimos, sem registros nos anais da história, ofereceram e oferecem preciosos dons materiais, culturais e espirituais para a vida desta Igreja. Gratidão a Deus que no seu paterno desejo de salvar a todos, permitiu que Nosso Senhor Jesus Cristo fosse anunciado, testemunhado, conhecido, amado, seguido e celebrado pelas pessoas que aqui residiram e residem.

Obrigado aos leigos, Papas, bispos, sacerdotes, religiosas e consagrados que fizeram e fazem parte deste belo mosaico que encanta nossos olhos e acalentam o coração. Quantos milhares de leigos, senão milhões, ao longo destes oitenta e quatro anos, esperaram ou esperam por esta palavra de gratidão: Deus lhes pague, aqui ou acolá, aqui na terra ou lá no céu.

Vivemos o momento do compromisso, da missão em comum. O que somos e temos é fruto da obra e graça de Deus e do esforço de várias gerações que nos transmitiram a fé e nos inseriram na Igreja, Povo de Deus, Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nuvens escuras pairam sobre nossa realidade anunciando tempestade no mundo e na Igreja, que pode trazer males irreparáveis. Há uma crise na transmissão da fé às novas gerações, o que gera uma demanda missionária urgente que contrasta com nossa lentidão em abraçá-la.

O futuro da fé e da Igreja depende do modo como vivemos e assumimos hoje a nossa missão. Não por acaso Jesus Cristo pergunta: "Mas o Filho do Homem, quando vier, será que vai encontrar fé sobre a terra?"(Lc 17, 18). As palavras de São Paulo soam grave para nós: “Pois, anunciar o evangelho não é para mim motivo de glória. É antes uma necessidade que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o evangelho!”( 1cor 9, 16).

O desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo, expresso aos Apóstolos antes da sua ascensão, é claro e exigente para nós: "Vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Aos que crerem será dado o poder de fazer milagres e expulsar demônios pelo poder do meu nome e falar novas línguas; se pegarem em cobras e ou beberem algum veneno, não sofrerão nenhum mal; e, quando puserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados”(Mc 16, 15-18).

"A esperança é para nós qual âncora da vida, segura e firme"(Hb 6,19). A celebração na fé dos oitenta e cinco anos de nossa Diocese de São José do Rio Preto é expressão de esperança: vamos realizar o desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo, fazer com que a salvação chegue a todas as pessoas do nosso tempo e do futuro. Vamos despertar nas pessoas, através do anúncio do Evangelho, a paixão por Nosso Senhor Jesus Cristo, a consciência de serem pecadoras, estimulando a todos a empreenderem o caminho da conversão e da volta para a Igreja, a nossa casa, a casa que Deus deixou para nós.

Celebrando a Santa Missa na Catedral de São José, no dia 25 de janeiro, às vinte horas, acolham meu abraço de gratidão e humildes preces, que brotam do coração de um pecador que continuamente busca a conversão, e a bênção de Deus, sempre pródiga e eficaz, ilumine a sua e a nossa vida. Somos a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo! Somos o Povo de Deus! Somos membros do Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo!

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto, SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário