segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Saudação a Dom Sérgio de Deus Borges


Em tempos idos, séculos atrás, alguns jesuítas, que vieram do além-mar, subiram a serra em busca de melhores terras, e se encontraram neste planalto. Ficaram encantados, construíram uma igreja e uma escola. Nasceu a cidade à sombra da Igreja. Nasceu a Igreja com a cidade.

Os séculos passaram. O planalto tornou-se encantador. Fascinadas, encantadas, aqui chegaram pessoas mil do Brasil e de alhures.

São Paulo se tornou um microcosmo, referência para o Brasil, a América e o mundo.E escreveu: “Conduzo, não sou conduzido”!

Esta história não foi e não é profana. Semeada, construída e desenvolvida iluminada pela fé, que trouxe salvação, vida plena, com escolas, hospitais, obras sociais e culturais. Ensinou a lutar, a superar limites, a ousar. “Deus habita esta cidade”, recordava-nos o Cardeal no centenário da Arquidiocese.

Confunde-se a história da cidade e da Igreja na cidade. Profícua história, madura, com frutos abundantes, de boa qualidade, maduros.

É nesta cidade, nesta Igreja, que o Senhor, Dom Sérgio de Deus Borges, inicia o seu ministério episcopal como Bispo Auxiliar desta bela, centenária, plural e frondosa  arquidiocese, Igreja  matriarca que gerou tantas outras Igrejas nas terras de São Paulo.

Dom Sérgio, nós, os fiéis desta Igreja, leigos, religiosas, consagrados, diáconos, presbíteros,  bispos e arcebispos, cidadãos desta cidade e membros desta Igreja, o acolhemos com alegria e esperança nestas primeiras horas da tarde, nesta vetusta catedral, quando o sol, já atingido o píncaro, começou sua descida. O Senhor agora é nosso! O Senhor é um de nós! Entre nós, para nós e conosco o Senhor é um sucessor dos apóstolos, e o acolhemos como tal!

Seja bem-vindo Dom Sérgio! Nós já o amamos! Pedimos: no seu coração, ainda repartido com a Igreja de Cornélio Procópio, dê-nos uma chance, doe-nos um espaço, por pequeno que seja, para que possamos conquistá-lo e encantá-lo, porque encantados e conquistados já estamos pelo Senhor. E assim, conosco e entre nós, também o Senhor se torne encantador e conquistador, alma missionária, a seduzir homens e mulheres para Deus.

Na sua jornada, hoje iniciada, não lhe falte a coragem e a audácia de São Paulo, e a terna e materna proteção de Nossa Senhora da Assunção.

Dom Sérgio, ao oscular seu anel, em sua mão direita, e ao abraçá-lo, trago no meu coração, e deposito no seu coração, todos aqueles que nesta Arquidiocese de São Paulo, desejam ser osculados e abraçados pelo Senhor, como pai e sucessor dos apóstolos.

Dom Tomé Ferreira da Silva
Bispo auxiliar de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário