sexta-feira, 28 de setembro de 2012

13º Sínodo Ordinário dos Bispos

Em Outubro, de 07 a 28, realiza-se, em Roma, Itália, o Sínodo dos Bispos, um encontro prolongado de bispos de todo o mundo com o Santo Padre o Papa Bento XVI. Também participam teólogos, pastoralistas, peritos e convidados.

Neste 13º Sínodo Ordinário, o tema a ser objeto de reflexão será “ A nova evangelização para a transmissão da fé cristã.”

Do Brasil, participarão: Dom Sérgio da Rocha, Arcebispo de Brasília; Dom Leonardo Ulrich Steiner, Bispo Auxiliar de Brasília e Secretário Geral da CNBB; Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo; Dom Geraldo Lyrio Rocha, Arcebispo de Mariana;  Dom Benedito Beni dos Santos, Administrador Diocesano de Lorena; Padre Luis Alves de Lima, SDB, convocado como perito, e  Irmã Maria Antonieta Bruscato, FSP, convidada como ouvinte.

No mundo plural em que nos encontramos, a fé cristã experimenta uma crise, não em si, mas no modo de como é transmitida e recebida pelas pessoas. Em alguns lugares, como Europa e Oriente Próximo, onde primeiro ocorreu a pregação de Jesus Cristo e de seu Evangelho de Salvação, esta crise se manifesta de forma mais intensa e preocupante, chegando ao desaparecimento de algumas comunidades eclesiais.

A crise de fé tem por objeto a pessoa de Jesus Cristo, o mistério da salvação e a Igreja, esta como fiel depositária da pessoa de Jesus Cristo e de sua obra salvadora. No desconhecimento e rejeição de Jesus Cristo, está também a ignorância e o fechamento à Igreja.

A crise de fé é resultado da conjunção de uma série de fatores não eclesiais e eclesiais. Se nem sempre é possível reagir aos primeiros, é nossa grave missão enfrentar os segundos, isto é, reagir propositivamente às ações eclesiais que conduziram e fazem perdurar a situação experimentada.

O Santo Padre o Papa Bento XVI, seguindo o  desejo do Beato João Paulo II, conclama os fiéis a uma nova ação evangelizadora, com novo ardor e novos métodos, com o fim explícito de tornar Jesus Cristo conhecido, amado e seguido, condição de salvação para a pessoa humana, introduzindo-a na vida da Igreja, como membros do Corpo de Cristo.

O objetivo desta nova onda evangelizadora é propor e repropor ao homem de hoje a pessoa e a obra de salvação de Jesus Cristo, guardados como um tesouro pela Igreja, que não deve reservá-los para si, mas doá-los ao mundo.

No Brasil, em consonância com a Igreja na América Latina e Caribe, somos chamados a uma ampla e vigorosa ação missionária, que não é um conjunto de ações pontuais e esporádicas, mas um viver missionariamente a nossa vida cristã, repassando às novas gerações a pessoa e a salvação de Jesus Cristo, tais  como são  guardados pela Igreja e dela recebemos.

Em outubro, estejamos unidos ao Santo Padre o Papa Bento XVI e aos Bispos Sinodais, através da oração pelo bom êxito do evento, mas também acompanhando o desenvolvimento do mesmo, através dos meios de comunicação social e das mídias sociais, sobretudo daqueles de orientação católica.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário