sexta-feira, 20 de julho de 2012

Há vagas, muitas vagas, venha!


Não faz muito tempo, circulou na Espanha, por iniciativa da Igreja Católica Apostólica Romana, uma incisiva propaganda vocacional, partindo do contexto do desemprego reinante naquele País, convidando os jovens a pensarem na vocação sacerdotal e religiosa. A repercussão não foi só local, mas chegou até nós, alguns achando que a Igreja tinha ido longe demais ao associar o desemprego dos jovens à carência de padres, religiosos e religiosas.

Agosto está chegando, o mês das vocações, ocasião em que recordamos algumas vocações na vida da Igreja: sacerdotal, à paternidade, à vida religiosa e consagrada e aos ministérios leigos, de modo singular o catequista. Também entre nós temos vagas para todas as vocações e ministérios.

Na Arquidiocese de São Paulo, neste ano de 2012, estão sendo acompanhados 40 jovens em fase de discernimento vocacional inicial. Nos nossos quatro seminários temos neste ano 65 seminaristas, distribuídos nos seminários Santo Antônio de S’Antana Galvão, Nossa Senhora da Assunção, Cura D’Ars e Bom Pastor. Olhando a imensidade da Arquidiocese e a extensão do trabalho a ser desenvolvido, precisamos de mais gente, temos vagas, muitas vagas!

O que podemos fazer para promover as vocações sacerdotais? Antes de tudo, conhecer a natureza e a missão da vida sacerdotal na Igreja, pois somos uma Igreja que conta com ministros ordenados na sua constituição, tal como desejou Nosso Senhor Jesus Cristo. Este conhecimento desperta em nós uma reverência sagrada diante da pessoa do sacerdote, que se traduz em amor, amizade, respeito e obediência, pois são participantes de modo singular da ação pastoral de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Bom Pastor.

Somos chamados a rezar continuamente pelas vocações sacerdotais, exortados pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita”(Mt 9, 37). A oração diária pelas vocações sacerdotais e religiosas, feita só, em  grupo ou na comunidade, deve constituir-se um hábito, respondendo ao apelo do próprio Senhor da Messe..

Em família, com os colegas de escola ou trabalho, com os amigos e com quem convivemos, podemos e devemos sempre conversar sobre a beleza e dignidade da vocação sacerdotal. Assim, busquemos estimular e apoiar nossos filhos, parentes, amigos e conhecidos jovens para que não tenham medo de responder afirmativamente ao chamado de Nosso Senhor Jesus Cristo para esta vocação especial na Igreja como sacerdote.

Criar nas comunidades e paróquias um grupo de pastoral vocacional e ministérios ajudaria a dar solidez à promoção vocacional, pois não só suscitaria e apoiaria jovens vocacionados, pessoalmente e em grupo, mas promoveria ações para levar os jovens a uma reflexão orientada no discernimento vocacional, bem como aproveitaria os momentos possíveis para incrementar a oração pública pelas vocações, suscitando assim uma cultura vocacional nas paróquias, comunidades, movimentos, pastorais e novas comunidades.  

Caro jovem, nunca é tarde ou cedo demais para no silêncio e na oração escutar o desejo e projeto de Deus para você e sua felicidade. Não tenha medo de perguntar-se: Deus pensa em mim como sacerdote? Deus me quer santo como sacerdote? Há vinte e cinco anos fui ordenado padre, sou e sempre fui feliz. E você? Pense também em ser padre, há vagas, e muitas! Precisamos de padres que sejam padres bons e santos, e você pode ser um!


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo.

Um comentário:

  1. Olá dom Tomé...acredito eu que há muitas vagas de fato, sei o que é isso...sempre possui reta intenção e acreditei no sacerdócio, porém o que adianta se ter vagas, se Deus nos chama, porém os homens destroem uma vocação? Foi o que aconteceu comigo...por responsabilidade de um padre fui gravemente caluniado, sendo que meus formadores num ato de fé e bondade não acreditaram na história e pediram que me pronunciasse a sair, assim podendo voltar...cresci, amadureci, estudei, conheci o mundo...discretamente Deus ainda me fala...ele também me diz que há vagas...o próprio Deus...enquanto os homens dizem...tais vagas ja foram preenchidas...preenchidas pelos prediletos, preenchida pelos luxuriosos, preenchida pelos carreiristas...a vocação é um dom de Deus,mas lamentavelmente os homens matam o dom alheio...
    Cesar Augusto de Orleans e Bragança

    ResponderExcluir