quarta-feira, 30 de maio de 2012

Dom Tomé e Padres de Heliópolis

Na manhã do dia 30/05, Dom Tomé reuniu-se com os padres que trabalham em Heliópolis.
Assuntos abordados: mudanças sociais em Heliópolis; conjuntura eclesial; pistas de ação kerigmática no bairro; ação missionária.
O encontro envolveu as Paróquias Santa Paulina, Santa Edwiges, São João Clímaco e Área Pastoral São Paulo.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

"Quem come a minha carne e bebe meu sangue tem a Vida Eterna" (Jo 6,54)

A Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, em 07 de junho, e o tema do destaque pastoral da Arquidiocese de São Paulo para este ano de 2012, “Paróquia, Comunidade Eucarística”, nos proporcionam a ocasião oportuna para rezar o mistério da Eucaristia, central na vida dos fiéis cristãos, sobretudo dos pertencentes à Igreja Católica Apostólica Romana.

O evangelista Marcos faz o seguinte relato da ceia pascal: “Enquanto estavam comendo, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e lhes deu, dizendo: ‘Tomai, isto é o meu corpo.’ Depois, pegou o cálice, deu graças, passou a eles, e todos beberam. E disse-lhes: ‘Este é o meu sangue da nova Aliança, que é derramado por muitos. Em verdade, não beberei mais do fruto da videira até o dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus”(Mc 14, 22-25).

O Papa Bento XVI explica: “Como pode Jesus distribuir o Seu Corpo e o Seu Sangue? Ao fazer do pão o Seu Corpo e do vinho o Seu Sangue, Ele antecipa a Sua morte, aceita-a no Seu íntimo e transforma-a numa ação de amor. Aquilo que exteriormente é violência brutal, a crucifixão, torna-se interiormente um gesto de amor que se doa totalmente” (cf Youcat p.123).

O que comemos e bebemos na Missa é o Corpo e o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Através da consagração opera-se a transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue de Cristo. Sob as espécies consagradas do pão e do vinho, Cristo mesmo, vivo e glorioso, está presente de maneira verdadeira, real e substancial, seu  Corpo e seu Sangue, com sua alma e sua divindade”(CIC 1413).

Toda vez que participamos da Missa devemos comungar, pois a Eucaristia é alimento para nós pecadores convertidos. Temos a obrigação de participar da Missa aos domingos e dias santificados, e comungar ao menos uma vez ao ano (cf CIC 1389). Para receber a comunhão devemos estar em estado de graça: “Se alguém tem consciência de ter pecado mortalmente, não deve comungar a Eucaristia sem ter recebido previamente a absolvição no sacramento da penitência”(cf CIC 1415). São João Maria Vianney afirma: “Não se deve comungar como alguém que morre de sede junto de uma fonte”( cf Youcat  p.123).

Num tempo de pluralismo religioso, onde tantos se apresentam como sacerdotes católicos, é preciso tomar cuidado: “Só os sacerdotes validamente ordenados podem presidir a Eucaristia e consagrar o pão e o vinho para que se tornem o Corpo e o Sangue do Senhor” (CIC 1411).

Quais são os frutos da Comunhão em nossa vida? A Eucaristia nos proporciona: mais intensa união com Cristo, separa-nos do pecado, preserva-nos dos pecados mortais, promove a unidade do Corpo Místico de Cristo, isto é, faz a Igreja, nos leva ao amor aos empobrecidos, estimula-nos na promoção da unidade entre os cristãos i.é garantia de vida eterna (cf CIC 1391-1405). Bela a palavra de Santo Agostinho: “Aconteceu que ouvi uma voz das alturas: ‘Eu sou o alimento dos fortes; sobe e come de mim! Mas não Me transformarás em ti, como um alimento físico, mas tu é que serás transformado em Mim’”( cf Youcat p. 123)

“Visto que Cristo mesmo está presente no Sacramento do Altar, é preciso honrá-LO com um culto de adoração. A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Cristo, nosso Senhor”(CIC 1418).

A Beata Madre Teresa de Calcutá nos diz: “A vossa vida deve ser tecida à volta da Eucaristia. Dirigi os vossos olhos para Ele, que é a luz! Aproximai bem  os vossos corações do seu divino coração! Pedi-lhe a graça de O conhecer, o amor para O amar, a coragem de O servir! Procurai-O ansiosamente! (...) Não podemos separar a nossa vida da Eucaristia. No momento em que o fizéssemos, quebrar-se-ia algo. (...) A Eucaristia contém mais que aquilo que se recebe; contém também o silêncio da fome de Cristo. Ele diz: ‘Vinde a mim!’. Ele tem fome de almas”(Youcat p. 124s).

No dia sete de junho, venha rezar conosco o Mistério do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, as nove horas, saindo da Igreja de Santa Ifigênia, em direção à Praça da Sé, onde celebraremos a Eucaristia.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo.

Encontro dos Crismandos e jovens na Sé

Na tarde de domingo, 27, a Catedral da Sé, em São Paulo, acolheu jovens e crismandos da Arquidicocese para a celebração de Pentecostes, em celebração presidida por Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano.

Crisma no Colégio São Francisco Xavier

No fim da manhã do domingo de Pentecostes, Dom Tomé presidiu a Eucaristia e administrou o Sacramento da Crisma para alunos do Colégio São Francisco Xavier, no Ipiranga, São Paulo.

Semana Missionária JMJ 2013

A tarde de sábado, 26, foi o tempo escolhido para o encontro das equipes paroquiais que estarão na coordenação da Semana Missionária da Jornada Mundial da Juventude 2013, na paróquias da Região Episcopal Ipiranga. 

Pastoral do Dízimo

Líderes paroquiais da Região Episcopal Ipiranga, Arquidiocese de São Paulo, estiveram reunidos para uma manhã de estudo e formação sobre o dízimo, no sábado, 26 de maio, sob a liderança da Sra. Marta Elia e Pe. Uilson. As palestras foram realizadas pelo Prof. Luís Eduardo Gasparetto, empresário.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Santíssimo Corpo e Sangue do Nosso Senhor Jesus Cristo


No próximo dia sete de junho, em todo o mundo, celebra-se a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. É um dia para ser santificado; e podemos fazê-lo com nossa participação na Santa Missa, acompanhando a Procissão do Santíssimo Sacramento, dedicando uma parte do dia para a prática da caridade e para o saudável convívio com a família e os amigos.

Durante a celebração da Santa Missa, faz-se a consagração do pão e do vinho, que se tornam, pela ação do Divino Espírito Santo, o Corpo e o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, repetindo o que Ele mesmo fez na Ùltima Ceia, antes de sua morte e ressurreição.

A presença de Jesus Cristo na Eucaristia, com seu Corpo e Sangue, não é momentânea, mas permanente. O que resta da comunhão dos fiéis é devidamente guardado no sacrário, disponibilizado para ser levado aos enfermos, idosos e doentes, ou ainda para pessoas impossibilitadas de participarem da Missa, mas que se reúnem em comunidade para ouvirem a Palavra de Deus.

O Corpo e o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, não consumidos durante a Missa, são objeto da adoração dos fiéis, que reconhecem nas espécies do Pão e do Vinho consagrados a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo, com seu corpo, sangue, alma e divindade. Adorar a Nosso Senhor Jesus Cristo presente na Eucaristia é um ato de fé, um ato em profunda sintonia com a Missa celebrada.

Há setenta anos passados realizou-se em São Paulo um Congresso Eucarístico Nacional. Foi a partir deste evento que surgiu a construção da Igreja de Nossa Senhora Aparecida aqui no bairro do Ipiranga, na Rua Labatut, que acolheu a réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida, vinda para São Paulo nesta ocasião.  

Na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, participar da Santa Missa e da Procissão do Santíssimo Sacramento é demonstração de nosso amor a Jesus Cristo, reconhecendo-O como nosso único e divino Salvador. É  manifestação pública de nossa fé no Filho de Deus, morto e ressuscitado, que entregou o seu Corpo e Sangue para a nossa salvação.

Na Arquidiocese de São Paulo, neste ano de 2012, no dia 07 de junho, somos convidados a participar da Procissão do Santíssimo Sacramento e da Celebração da Santa Missa como fiéis de uma só Igreja, reunindo numa única celebração todos os fiéis, sejam leigos, consagrados, diáconos, padres e bispos.

A Procissão do Santíssimo Sacramento terá início às nove horas, saindo da Igreja de Santa Efigênia, passando pelo Mosteiro de São Bento, Praça do Patriarca, Convento São Francisco e Praça da Sé, onde acontecerá a concelebração da Santa Missa. O acesso a estes lugares é muito fácil, pois se encontram próximos a várias estações de metrô e a diversas linhas de ônibus.

Vamos adorar a Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do Altar! Venha rezar conosco, você, sua família e os que são seus amigos, nesta festa de amor e de testemunho de nossa fé em Jesus Cristo, nosso único e divino Salvador.


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Festa de Santa Rita de Cássia

Na manhã do dia 22 de maio, Dom Tomé celebrou a Santa Missa na Igreja de Santa Rita de Cássia, em Mirandópolis, em São Paulo, às 10h00, com grande número de fiéis e devotos de Santa Rita de Cássia.

Encontro dos Bispos das Metrópoles Brasileiras

No dia 21 de maio, em São Paulo, estiveram reunidos os arcebispos e bispos que trabalham nas metrópoles brasileiras. Estavam presentes 23, vindos das Arquidioceses de Salvador, BA, Rio de Janeiro, RJ, Belo Horizonte, MG, e das dioceses de Guarulhos, Santo André, São Miguel e Santo Amaro, todas do Estado de São Paulo.
O tema do diálogo, ocorrido entre 9h00 e 17h00 foi a "Transmissão da Fé na grande cidade."

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Crisma na Paróquia Sagrada Família

Na noite do dia 20, Dom Tomé fez crismas na Paróquia Sagrada Família, 36 crismandos.

Crisma na Paróquia Santa Ângela e São Serapião

Na manhã do dia 20, Dom Tomé fez crismas na Paróquia Santa Ângela e São Serapião, 21 crismandos.

5ª Semana Social

No sábado, 19, Dom Tomé participou da 5ª Semana Social na Região Episcopal Ipiranga.
A organização foi do Núcleo Cáritas, assessoria da Professora Rosana Manzini. Participação de 90 pessoas.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Os dons do Espírito Santo


O Catecismo da Igreja Católica ensina que os dons do Espírito Santo “são disposições permanentes que tornam o homem dócil para seguir os impulsos do mesmo Espírito”(1830). A vida moral cristã é um permanente drama: viver como pessoas do mundo e segundo a carne ou como filhos de Deus, buscando em tudo a santidade do agir? Para o cristão, só é possível viver moralmente se sustentado pelos dons do Espírito Santo.

A igreja aponta sete dons do Espírito Santo, que pertenceram plenamente a Jesus Cristo: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus. “Eles completam e levam à perfeição as virtudes daqueles que os recebem. Tornam os fiéis dóceis para obedecer prontamente às inspirações divinas”(CIC 1831).

O Espírito Santo enriquece os cristãos com os sete dons, “concedendo-lhes determinadas forças para além das suas aptidões naturais e dando-lhes a oportunidade de se tornarem instrumentos especiais de Deus neste mundo”(Youcat 310).

As virtudes são hábitos bons, adquiridos ao longo da vida, com esforço próprio, repetidos diariamente. Ora, os dons do Espírito Santo são remédio para que o cristão leve a termo uma vida virtuosa, fundada no amor a Deus e ao próximo, um antídoto para que a distração e a dispersão não nos afastem do projeto de Deus, uma vida de santidade moral.

O dom da sabedoria mostra que o Espírito Santo é o mestre interior que torna sábio o coração humano levando-o à simplicidade evangélica, tornando-o apto a Jesus Cristo, levando-o a configurar-se com Ele, sabedoria encarnada de Deus.

A inteligência é o dom do Espírito Santo que revela ao fiel a Vontade de Deus, concede-lhe a graça de não viver cegamente pela ignorância proposta pelo maligno, mas permitindo-lhe discernir o bem do mal e iluminando a sua vontade para escolher o bem e rejeitar o mal..

O dom do conselho predispõe e auxilia o fiel a não agir intempestivamente, guiado unicamente pela força de sua vontade, mas leva-o a auscultar o que Deus lhe propõe, possibilita-lhe a virtude do equilíbrio e da ponderação no ser e no agir.

A fortaleza é o dom do Espírito Santo que fortalece o fiel na busca da consistência da fé, da esperança e da caridade, amparando-o no testemunho de Jesus Cristo em uma sociedade que não o conhece e ou o despreza.

Com o dom da ciência o fiel é introduzido no mistério do Reino de Deus, é levado ao encontro da Verdade, que é Jesus Cristo, verdade de Deus e verdade do homem.

A piedade, como dom do Espírito Santo, instrui o pensar e o agir cristão a fugir da arrogância espiritual, estimulando o fiel a colocar-se diante de Deus numa atitude de responsável confiança e humildade, a exemplo da Virgem Maria.

O dom do temor de Deus conduz o coração do fiel a aproximar-se de Deus com zelo, reverência e amor, reconhecendo as coisas de Deus como sagradas, especiais, merecedoras de um trato singular iluminado pela fé.

A você, boa preparação para viver a Solenidade de Pentecostes, no dia 27 de maio.

+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

62 Anos das Equipes de Nossa Senhora no Brasil

No dia 12 de maio, na Paróquia Nossa Senhora da Saúde, Dom Tomé celebrou Missa de Ação de Graças na recordação dos 62 anos da presença no Brasil das Equipes de Nossa Senhora.