sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Jesus Cristo, Luz do Mundo


No dia 02 de fevereiro temos a festa da “Apresentação de Jesus”, isto é, “Quando se completaram os dias da purificação, segundo a lei de Moisés, levaram o menino a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor, conforme está escrito na Lei do Senhor: ‘Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor’” (Lc 2, 22s).

Ao receber o Menino Jesus em seus braços, Simeão proclama-O como Luz das Nações: “Agora, Senhor, segundo a tua promessa,  deixas teu servo ir em paz; porque meus olhos viram a tua salvação, que preparaste diante de todos os povos: luz para iluminar as nações e glória de Israel, teu servo” (Lc 2, 29-32).

A piedade popular chama esta festa de “Nossa Senhora das Candeias” ou ainda “Nossa Senhora da Luz”. A candeia era um instrumento rudimentar que fornecia luz à base de óleo, fixada na parede ou depositada sobre um móvel, algo como uma lamparina. Nossa Senhora é compreendida como instrumento que fornece a Luz que é Jesus Cristo. 

Na sua vida adulta, Jesus Cristo dirá sobre si mesmo: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não caminha nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8, 12). Ele é a luz de Deus, enviada ao mundo para que gozemos da “luz da vida”, que é o próprio Deus. Por isso, rezamos com o salmista: “ O Senhor é minha luz e minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é quem defende a minha vida; a quem temerei?” (Sl 27,1).

No Sermão da Montanha, Jesus Cristo diz: “Vós sois a luz do mundo (...). Assim também brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus” (Mt 5, 14.16).

No batismo somos iluminados por Jesus Cristo e, agora, iluminados por Ele, podemos refletir esta luz sobrenatural através da fragilidade de nossa humanidade transfigurada. Como Nossa Senhora, iluminados podemos iluminar, oferecer a Luz que é Jesus Cristo às pessoas e ao mundo, pelo nosso testemunho e pelas nossas palavras.

São Paulo, diante da negativa dos Judeus, sente-se enviado por Deus para anunciar o Evangelho aos pagãos: “Eu te constituí como luz das nações, para levares a salvação até os confins da terra” (At 13, 47).

Corremos a tentação de renegar a Luz que é Jesus Cristo: “ Examina, pois, se a luz em ti não são trevas! Se então teu corpo estiver todo cheio de luz, sem traço algum de escuridão, ficarás totalmente iluminado, como acontece quando a lâmpada te ilumina com seu clarão” (Lc 11, 35s).

O nosso juízo final se dará diante de Jesus Cristo Luz: “ O julgamento consiste nisso: a luz veio ao mundo, mas as pessoas amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Pois todo o que pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. Mas quem pratica a verdade se aproxima da luz, para que suas ações sejam manifestas, já que são praticadas em Deus” (Jo 3, 19-21).


+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Auxiliar de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário